Notícias

O Silicone e o Vidro

Existem algumas variedades e diferentes tipos de aplicação. E essa desinformação tão comum resulta, com freqüência, em prejuízos tanto para o profissional quanto para o cliente.
Conheça melhor os tipos de Silicone e sua aplicação:
Silicones são produtos de origem mineral, derivados de quartzo (cristal), e que apresentam em sua cadeia molecular básica somente átomos de silício e oxigênio. Os silicones se apresentam em diferentes aspectos: emulsões, resinas, antiespumantes, fluidos e elastômeros. O principal componente dos silicones é o silício: o segundo elemento mais abundante na superfície da Terra, depois do oxigênio.
Duráveis e altamente resistentes à umidade e intempéries, os selantes de silicone são a opção perfeita para aplicações em vidro, como box de banheiro e aquários, e diferentes tipos de substratos como rejuntes de cimento e concreto ou reparo de selantes antigos e danificados pela ação da água.
Como surgiu o silicone
Frederic Stanley Kipping foi um químico inglês que viveu entre 1863 e 1949 e um dos pioneiros nas pesquisas sobre química orgânica. A definição de molécula orgânica gera polêmica, mas a maioria dos cientistas a definem como as substâncias químicas que contêm carbono e hidrogênio – extraídas de seres vivos ou não.
Dentre as muitas pesquisas que fez sobre polímeros de silício, Frederic ajudou a sintetizar o silicone. O nome inclusive foi dado por ele em 1901.
Tipos de Silicone para vidros
O vidraceiro deve entender e conhecer a diferença entre eles, o silicone usado pelos profissionais vidraceiros pode ter a função de estrutura ou de vedação.
Hoje existe uma grande variedade no mercado de marcas de selante de silicone, inclusive genéricas, de baixo custo e de procedência duvidosa, que comprometem a qualidade da vedação, podendo ressecar, descolar, rachar e amarelar, além de não resistir a temperaturas acima de 150oC. São selantes diluídos que escorrem facilmente e ficam enrugados após sua cura.
Por isso, o primeiro passo é saber escolher o produto certo para o tipo de aplicação. São encontrados no mercado três tipos de selante, caracterizados por seu diferente mecanismo de cura: estrutural, neutros e acéticos.
Silicone Estrutural
Como o nome já diz, este silicone é especial no sentido que possui substâncias apropriadas em sua composição para garantir a força necessária para uma estrutura. Funciona como um adesivo elastomérico de silicone e tem cura neutra. Devido sua alta resistência são usados na construção civil como elementos que seguram grandes peças de vidro. O exemplo mais comum são os enormes arranha-céus que vemos hoje em dia, todo envidraçado. As peças de vidro são coladas com esse silicone estrutural que atua também na vedação de caixilhos. Esse produto extremamente resistente foi um grande avanço de tecnologia, pois permitiu aos arquitetos e engenheiros civis, elaborarem projetos ousados e criativos.
Silicone Neutro
Os selantes neutros são mais versáteis, indicados para vedação em geral. Em caso de dúvidas sobre os diferentes tipos de substratos em que o produto será aplicado, opte pelo selante de cura neutra.
O selante leva no mínimo 72 hs para curar adequadamente, dependendo da espessura da camada aplicada e das condições ambientais do local. Temperatura elevada e umidade relativa alta aceleram o processo de cura. Já a aplicação do selante em locais com baixa temperatura e baixa umidade relativa pode retardar o tempo de cura.
Silicone Acético
Os selantes acéticos liberam um odor semelhante ao de vinagre, que em contato com determinadas superfícies pode contaminar, oxidar, enferrujar, corroer, manchar.  Devido a esse ácido, é ideal para ambientes internos de alta umidade, possui alta resistência e grande elasticidade.  O selante de cura acética é indicado apenas para ambientes internos e para superfícies lisas como alumínio, vidro comum e temperado e azulejos. Não deve ser aplicado em vidro laminado, vidro aramado, chapas galvanizadas, cobre, latão, espelhos, superfícies porosas, entre outras.
Este ano a ADESPEC lançou um Silicone Acético, saiba mais sobre este novo produto que já está disponível para o mercado
Adesivo/Selante monocomponente de cura acética com fungicida. Produto tixotrópico que cura à temperatura ambiente através da umidade do ar e se torna uma borracha flexível.
Aplicações Típicas
É indicado para vedação e colagem de alumínio, vidro, azulejo, louça sanitária e box de banheiro.
Instruções para aplicação
Preparo da superfície:
A superfície deve estar seca, limpa, livre de pó e óleos. Remover todos os resíduos de materiais, especialmente os
que não estão aderidos suficientemente às camadas (lixar, se necessário). Limpar e desengordurar a superfície com álcool e a manter seca antes da aplicação. Não utilizar querosene ou gasolina para a limpeza das superfícies.
Para melhor acabamento recomenda-se utilizar fita adesiva nas áreas laterais da junta onde não se pretende o contato do silicone.
Aplicação:

  1. Cortar a ponta do cartucho e cortar o bico aplicador em um ângulo de 45° no tamanho e espessura desejada.
  2. Rosquear o bico no cartucho aplicador e colocar no aplicador.
  3. Aplicar o silicone na área desejada e imediatamente fazer o acabamento. No caso de uso de fita adesiva removê-la antes que o adesivo forme a película.

Obs.: Após o uso, manter o bico aplicador no cartucho e deixar uma pequena quantidade de produto acima do bico para formar um tampão. Na reutilização, retirar o tampão. Após aberto reutilizar o produto em até duas semanas. Limpar as ferramentas antes da cura do produto. Depois de curado o silicone só é removido mecanicamente.
Limitações:

  • Não utilizar em vidros laminados, metais corrosíveis, espelhos, superfícies pintadas, aquários e concreto.
  • Não aplicar em plásticos à base de polietileno, polipropileno, policarbonato, acrílico e politetrafluoretileno.
  • Não utilizar em peças que terão contato com alimentos e imersão contínua em meios líquidos.
  • Não utilizar em fachadas de vidro e qualquer adesão estrutural que necessite resistência.
  • Não aceita pintura.

Escreva um Comentário

9 − seis =

TOPO