Tag

Arte

Procurando

A artista norte-americana Shayna Leib, além da paixão pelo vidro, descobriu há poucos anos sua paixão pela vida marinha, se tornando também uma mergulhadora e fotógrafa subaquática. Leib conta que o mar sempre foi uma fonte de inspiração e, desde que passou a se dedicar ao mergulho noturno e em águas profundas, a artista encontrou uma nova maneira de expressar sua arte.

Corais de vidro viram esculturas de parede
Corais de vidro viram esculturas de parede
Através da técnica do vidro soprado, Leib recria corais e anêmonas em grandes esculturas de parede, algumas chegam a medir quase dois metros de comprimento e contêm cerca de 40 mil peças de vidro moldadas e organizadas individualmente.
Corais de vidro viram esculturas de parede
Corais de vidro viram esculturas de parede
As esculturas de parede da série Wind & Water têm impressionado a crítica pela precisão de detalhes, cores e ideia de movimento das peças meticulosamente forjadas no fogo. Um trabalho de semanas para reproduzir o que a natureza parece criar tão facilmente.
Corais-de-vidro-viram-esculturas-de-parede_3
Corais-de-vidro-viram-esculturas-de-parede_4
Corais-de-vidro-viram-esculturas-de-parede_5
Fonte: vidrado

O novo design do site da Vidriarte tem seu formato em flash, destacando especificamente seus principais trabalhos e produtos em catálogos.
O site mostra os diferentes tipos de decoração em vidro Fusing, Vitrais, pinturas de EDF frio e Flosing Vidro; além de trazer imagens de produtos feitos de vidro como móveis e até mesmo presentes.
No site uma seção é dedicada ao treinamento com todos os detalhes sobre os cursos que a empresa oferece tradicionalmente.De acordo com informações da empresa, em breve estara disponível a loja Online dos produtos, para que todos os seus clientes possam comprar facilmente.

Vidriarte renova seu site e lança novo blog.
Vidriarte renova seu site e lança novo blog.
vidriarte

O Cristal é a denominação popular para um vidro de alta qualidade perfeitamente lapidada, garantindo sua transparência e brilho inigualável, por isso que a grife austríaca SWAROVSKI, referência mundial em objetos, componentes e jóias de cristais, decidiu inaugurar em outubro de 1995 o museu Kristallwelten (em alemão “ Mundo dos Cristais ”), situado na cidade de Wattens na Áustria.
O parque foi feito para comemorar o centenário da empresa, logo na entrada do museu está localizada uma enorme fonte, no formato de um rosto, dando a impressão ao visitante de estar entrando em um corpo,

Entrada do museu com uma enorme fonte de água, no formato de um rosto.
Entrada do museu com uma enorme fonte de água, no formato de um rosto.
O projeto foi assinado pelo artista André Heller, inicialmente as previsões era de receber 400 visitas por dia, mas atualmente são vendidos quatro mil ingressos diários em média. Mais de 10 milhões de pessoas já visitaram o parque, localizado ao lado da fabrica.
interior de umas da sala que imita um Crystal.
interior de umas da sala que imita um Crystal.
No seu interior existem várias salas que imitam o interior de um cristal, o levando a conhecer um mundo cheio de esplendor e emoções, mostrando curiosidades do tipo como o menor (0,87 milímetros) e o maior (62 Kg) cristal já lapidado no mundo.
Entre as instalações encontram-se cristais associados a obras de artistas como Andy Warhol, Salvador Dali, Marc Chagall, Joan Miró, Pablo Picasso.
Para conhecer mais desse mundo veja o vídeo abaixo:
Fonte:
kristallwelten
sonoticiaboa
mundodasmarcas

Você já ouviu falar de fulgurito? Ou Raio petrificado?

Ao atingir o solo a areia vira um Fulgurito ficando a aparência de um raio
Ao atingir o solo a areia vira um Fulgurito ficando a aparência de um raio
Fulguritos chamados também como Raio Petrificado,  é formações originadas pela fusão da areia devido ao calor de um raio que geralmente ultrapassa 1800º C, o suficiente para que a areia derreta e a sílica presente nela funda com os componentes, formando uma estrutura de aspecto vitrificado e tubular.
Por dentro os fulguritos tem aparência vítrea, mas por fora os grãos de areia, semi fundidos, dão uma aparência áspera e frágil.
Normalmente são encontrados em regiões de dunas, totalmente enterrados na areia, mais devido a movimentação natural das mesmas, os frágeis tubos de vidro ficam expostos, o que facilita serem visualizados e desenterrados.
Para remover o fulgurito devemos escavar de forma cuidadosa, para não desmanchar a estrutura.
Há pesquisadores que acreditam que foi observando os fulguritos que os antigos descobriram como fabricar o vidro.
O maior fulgurito registrado foi encontrado na Florida, possuindo cerca de 4,9 m de comprimento, entrando para o Guiness Book of Records.
Fonte:
sbfisica
meteoropole
rincon
universoinsano

O projeto é de autoria dos profissionais do A.Masow Design Studio, sobre a coordenação do arquiteto Aibek Almasov, que construiu uma ‘’casa na árvore’’ a pedido de um empresário, o projeto demorou cinco meses e custou cerca de R$ 853 mil.
A casa de Vidro é localizada na cidade de Almaty (maior cidade do país) no Cazaquistão, o projeto consiste em um cilindro de vidro de quatros andares, envolvida por uma escadaria branca em espiral, permitindo que o morador ou visitante suba pela escada, rodeando a árvore, até alcançar a copa que fica no ultimo piso,
No percurso a visão é límpida e desimpedida, para a bela paisagem da floresta.
A casa foi projetada como refúgio de tranquilidade e instrumento de meditação, ajudando em toda rotina agitada das aglomerações urbanas, trazendo as pessoas a um ambiente natural e relaxante, nada mais original do que tem uma árvore dentro de casa para ter esse contato com a natureza.

Escadaria branca em espiral na casa de vidro.
Escadaria branca em espiral na casa de vidro.
Vista do lado de fora da casa de vidro.
Vista do lado de fora da casa de vidro.
Fontes:
estadodeminas
vitrinedovidro
redetv
greensavers
 
 

Um simples abajur não é só mais um objeto de decoração, o item caiu nas mãos do talentosíssimo Charles Lewis Tiffany fundado da famosa joalheria Tiffany & Co, que percebeu que na fundição de diferentes vidros podia ser obter algo admirado por seus consumidores.

Loja da Tiffany nos anos de 1905 e 1940.
Loja de Interiores na 5 ª Avenida da Tiffany & Co.. Entre 1905 e 1940
A história da Tiffany & Co. Teve inicio no dia 18 de setembro de 1837, quando os jovens Charles Lewis Tiffany e John B. Young, com um investimento inicial de US$  1 mil para investir em um negócio em New York a proposta era estabelecer um comércio de artigos de luxo e papelaria para casa, mais acabou se tornando uma joalheria mundialmente famosa por seus artigos de luxo únicos diversificados trazendo status e bom gosto.
Terceira maior joalheria do mundo, possui uma ampla linha de produtos vendidos em suas lojas como relógios, artigos de prata, vidros, porcelana, talhares diversos, matérias gravados e acessórios de moda.
Lâmpada decorativa estilo Abajur Tiffany.
Lâmpada decorativa estilo Abajur Tiffany.
Mais o item de destaque é a Tiffany Lamp Criado pelo Designer Louis Comfort Tiffany por volta de 1895, o abajur Tiffany Lamp é feito  por diferentes tonalidades de cor  do vidro Favrile, vidro esse fundido com óxidos metálicos que absorvidos pelo vidro criar-se um efeito único e luxuoso.  Na fabricação  utiliza-se  técnicas que envolve a peça em uma  fita de cobre para ficar entranhada e soldada entre si .
Os abajures Tiffany Lamp são itens colecionáveis e preciosos por sua beleza única e de importância histórica, a coloração do vidro já vem desde a idade Média, na construção e utilização em vitrais de igrejas e catedrais, o artista admirava a coloração dos vidros medievais, convencido de que a qualidade do vidro contemporâneo poderia ser melhorado no processo de fabricação, começando a utilizar a técnica.
Admirado e procurado pelo público e por colecionadores o item ligado, passa a ter um elemento de elegância e classe, emitindo uma suave iluminação colorida no ambiente de decoração.
Fontes:
casodesucesso.com
mundodasmarcas
abrael
tiffany.com

A designer Lilah Horwitz e o fotógrafo Nick Olson se conheceram em West Virginia, nos Estados Unidos, e, logo no primeiro encontro que tiveram, aproveitaram o belo pôr do sol das montanhas – e, em meio à beleza do cenário, pensaram em como seria viver no local, em uma casa construída para receber os raios de sol diariamente.
Para muitos, o pensamento de largar a rotina complicada das grandes cidades é bastante recorrente, mas Lilah e Nick mostraram-se mais decididos que a maioria.
Menos de um após se conhecerem, despediram-se de seus empregos e iniciaram, na Pensilvânia, uma viagem em busca de diferentes tipos de janelas para transformar o sonho em realidade. No exato lugar onde viram o pôr do sol juntos pela primeira vez, ergueram uma casa com uma incrível fachada de janelas envidraçadas, construída com materiais encontrados em garagens e antiquários visitados ao longo da jornada.

Casa se encaixa na paisagem do local (www.hypeness.com.br)
Casa se encaixa na paisagem do local (www.hypeness.com.br)
Matt Glass e Jordan Wayne Long, documentaristas do estúdio Half Cut Tea, foram atrás dos protagonistas da bela história e produziram o vídeo abaixo, que pode servir de inspiração para todos os que desejam perseguir um sonho que pareça irreal – além de mostrar mais um belo projeto arquitetônico no qual o vidro é peça fundamental. Confira logo abaixo.

Half Cut Tea . com | Nick Olson & Lilah Horwitz from Matt Glass on Vimeo.

Lilah Horwitz posa em meio às vidraças adquiridas em viagem feita pelo casal (www.hypeness.com.br)
Lilah Horwitz posa em meio às vidraças adquiridas em viagem feita pelo casal (www.hypeness.com.br)
Vidro destaca a residência do casal na montanha (www.hypeness.com.br)
Vidro destaca a residência do casal na montanha (www.hypeness.com.br)
Fontes:
Hypeness
Colossal

Poucas coisas são tão delicadas quanto o funcionamento do corpo humano e sua anatomia. São diversos detalhes e sutilezas, todos em sintonia, que nos fazem ter a impressão de que tudo é uma singela obra de arte. Para Gary Farlow, idealizador pela Farlow’s Scientific Glassblowing, Inc., falecido em 2012, isso não poderia ser mais verdadeiro: ele esculpe, detalhadamente, órgãos e partes do corpo em vidro.
Com uma equipe de pouco mais de 10 pessoas, a Farlow’s atua no setor de instrumentos médicos há 32 anos, produzido moldes com um nível extremamente alto de realismo. Entre as peças produzidas pela FSG, encontram-se reproduções do coração e do cérebro, sistemas vasculares e até mesmo esqueletos completos.
Feitos com vidro borossilicato, as obras de arte são criadas com o acompanhamento de equipes médicas, que direcionam o talento e a criatividade dos escultores para garantir ainda mais precisão em cada peça. Graças ao detalhamento de artérias, veias e capilares, construídos individualmente, os produtos são referência para a instalação de cateteres e angioplastias.
Cada conjunto é finalizado com juntas de vidro nas carótidas, assim pode ser expandido caso o consumidor deseje fazê-lo após a compra. O precioso e detalhadíssimo trabalho em vidro tem valor de obra de arte: um corpo humano completo custa cerca de 25 mil dólares.

O coração humano, com todos os seus detalhes (www.wired.co.uk)
O coração humano, com todos os seus detalhes (www.wired.co.uk)
st_medicalglass4_f-640x640
Cérebro produzido pelo FSG (www.mymodernmet.com)
Cérebro produzido pelo FSG (www.mymodernmet.com)
Fontes:
Wired
io9
The Scientist

Ao lado da Torre Eiffel e do Arco do Triunfo, o Museu do Louvre é um dos principais pontos turísticos de Paris, capital da França. Além do extenso acervo, que conta com obras clássicas como a Monalisa e a Vênus de Milo, a Pirâmide, entrada principal do museu, fez do Louvre um cartão postal parisiense também pela arquitetura.
Situado no Palácio do Louvre, antiga sede da monarquia francesa, o espaço começou a se transformar em museu no século XVII, quando se instalaram academias de arte e pintura no local. Resistindo ao tempo, crescendo em número e variedade de galerias e exposições, o Louvre precisou passar por adequações após a metade do século XX para adequar-se à quantidade de visitantes que recebia, e, em 1989, ganhou sua própria pirâmide das mãos do arquiteto Ieoh Ming Pei.

Visão comum: Pirâmide carregada de visitantes (mochileiros.com)
Visão comum: Pirâmide carregada de visitantes (mochileiros.com)
A Pirâmide de Vidro, que parece uma obra futurista em meio à estrutura do Louvre, tem mais de 20 metros de altura e é constituída por 673 painéis de vidro, sendo 603 losangos e 70 segmentos triangulares, todos com 21 mm de grossura. Construída na porção central do terreno, a mais nobre do museu, ela se tornou a entrada principal por facilitar o acesso subterrâneo a todos os edifícios em seu entorno e por garantir iluminação à recepção de visitantes.
Centralizada, Pirâmide é um dos pontos mais nobres do Louvre (conexaomundo.com.br)
Centralizada, Pirâmide é um dos pontos mais nobres do Louvre (conexaomundo.com.br)
La Pyramide Inversée – A Pirâmide Invertida
Após a construção da Pirâmide do Louvre, Ieoh Ming Pei projetou uma claraboia em um centro comercial posicionado em frente ao Louvre que faz oposição à obra arquitetônica do museu.
A Pirâmide Invertida serve como orientação para a entrada principal do museu. Pesando 30 toneladas e com 13 m², a Pirâmide Invertida tem o seu vértice apontando para o solo, suspenso a quase 1,5 m do chão. Abaixo das vidraças, uma pirâmide pequena se ergue do chão, como um espelho da construção sobre seu topo, e as duas quase se encostam.
La Pyramide Inversée: toneladas de vidro para nortear os turistas (mochileiros.com)
La Pyramide Inversée: toneladas de vidro para nortear os turistas (mochileiros.com)
Fontes:
Pirâmide do Louvre
Museu do Louvre
La Pyramide Inversée
Structurae
UFSC – Arquitetura Enterrada
Conexão Paris

Artista influente tanto no século XIX quanto no século XX, o francês René Jules Lalique foi designer, mestre vidreiro e joalheiro, tornando-se conhecido pela criação de joias, frascos de perfume, vasos, copos e taças, entre outros delicados itens fabricados em vidro.
Nascido em 1860, o francês inspirou-se nos estilos artísticos surgidos no fim do século XIX, o art nouveau e art déco, para deixar um legado de produções que remetem à qualidade, beleza e diversidade. Como designer de joias, desenvolveu peças baseadas na natureza, como aves e insetos, aproveitando-se de materiais tidos como pouco comuns, como o vidro.
Lalique foi o primeiro a conceber os frascos de perfume em vidro, passando a investir na comercialização de um produto luxuoso em embalagens igualmente refinadas. Até 1914, popularizou sua arte, fazendo com que as produções em vidro passassem a ser acessíveis para o grande público, mas, no ano de início da Primeira Guerra Mundial, transformou sua fábrica de vidro em território de produção de material médico para hospitais e farmácias.
Do fim do conflito até 1945, ano de sua morte, René Lalique investiu em modelos exclusivos de vidro, desenvolvidos em uma fábrica construída em Wingen-sur-Moder. Lá, foram patenteados diversos processos para a fabricação de vidro, como o satinado Lalique ou o vidro opalescente. Presente também na arquitetura, foi pioneiro na escultura de vidro para obras monumentais, como as portas do Hotel Alberto I, em Paris, ou as fontes dos Campos Elíseos, além de marcar presença também na construção de trens, navios, igrejas e residências.
Veja, logo abaixo, alguns dos trabalhos de Lalique.

Embalagem produzida por Lalique (www.prweb.com)
Embalagem produzida por Lalique (www.prweb.com)
Libélula de vidro produzido pelo francês, exposta em museu de Portugal (commons.wikimedia.org)
Libélula de vidro produzido pelo francês, exposta em museu de Portugal (commons.wikimedia.org)
Fontes:
Wikipedia
Saber Design

TOPO