Tag

Têmperas

Procurando

O novo forno de tempera horizontal, apresentada pela Glaston possui tecnologia de flutuação de ar. Invés de usar os rolos para transporte, os vidros são apoiados e aquecidos sobre uma superfície homogênea de ar, o que segunda a empresa favorece a qualidade final do Produto.
“Essa é a grande novidade que dá muita competitividade, porque tem uma economia de energia muito grande. Mas a grande chave de sucesso do Glaston Air é a melhor qualidade imaginável para vidros de até 1,8 mm de espessura”, explica Moreno Magon, vice-presidente do grupo Glaston.

Têmpera GlastonAir: Novo forno dispensa rolos e faz com que o vidro flutue no Ar.
Têmpera GlastonAir: Novo forno dispensa rolos e faz com que o vidro flutue no Ar.
O GlastonAir produz vidros de 1,8 a 10 mm de espessura,que podem ser usados em eletrodomésticos,televisões,telefones,entre outras aplicações;e tem como diferencial a economia de 15% a 50% de energia na produção de vidro fino.
O forno foi lançado em 2013, pela equipe de engenharia da empresa na Finlândia, e foi apresentado no Brasil durante a Glass South America 2014. Ele foi desenvolvido para atender os clientes que precisam de vidro temperado de qualidade, com menor peso e mínima espessura, sendo economicamente viável. A Glaston é uma companhia global que desenvolve tecnologia de processamento de vidro para aplicações arquitetônicas, solares, domesticas e automotivas.
Têmpera GlastonAir: Novo forno dispensa rolos e faz com que o vidro flutue no Ar.
Têmpera GlastonAir: Novo forno dispensa rolos e faz com que o vidro flutue no Ar.
Fonte: Revista Tecnologia & Vidro – Edição 91
Gostou da Matéria ? Veja essa e outras novidades Clicando Aqui.

A têmpera tem como objetivo garantir mais resistência mecânica e térmica ao vidro. Por meio do aquecimento gradual do material até cerca de 700 graus, seguindo de um rápido resfriamento, o vidro torna-se temperado: ao se quebrar, ele se fragmenta em pequenos cacos poucos cortantes,diminuindo o risco de acidentes. Isso não significa que a tempera precise de menos cuidados com a segurança dos trabalhadores do que os tomados em todas as demais etapas do processamento do vidro.
Veja o que a ANAVIDRO separou para você  que se preocupa com a Segurança no Trabalho, veja o passo a passo da atividade e como evitar danos e perigos.

Veja os cuidados que devem ser tomados nas têmperas de vidro.
Veja os cuidados que devem ser tomados nas têmperas de vidro.
EPIs para têmpera
Diversos equipamentos de proteção individual (EPIs) são necessários no processo de tempera, tanto para o descarregamento do vidro como para o trabalho próximos aos fornos. Todos eles precisam estar disponíveis para uso dos profissionais e devem ser certificados pelo Ministerios do trabalho e emprego.
Os EPIs necessários são:
– Óculos de segurança
– Protetores auriculares
– Luva Anticorte
– Mangote Anticorte
– Bota com biqueira
– Capacete
– Cinta ergonômica
– Luva térmica
Veja os cuidados que devem ser tomados nas têmperas de vidro.
Veja os cuidados que devem ser tomados nas têmperas de vidro.
Os processos de uma têmpera são feitos nos seguintes passos:
Área comercial.
Recepção de pedidos: Recebimento via Fax, E-mail e realização do pedido.
Liberação de pedidos: Conferência antes da otimização, verificar-se os pedidos se estão corretos.
Otimização das peças: Plano de corte para melhor aproveitamento da chapa de vidro.
 
Área de produção chão de fábrica
Por Setores.
Corte automatizado: Cortes das Chapas.
Lapidação: Retirada do corte das peças.
Marcação: Marcação de recortes e furos das peças.
Furação: Realização de recortes e furo das peças.
Conferência: Controle de qualidade das peças. OBS: Realização de inspeção das peças, cortes, lapidação, marcação, furação etc.
Forno: Entrada das peças para processo de têmpera. Na saída das peças já temperadas e finalizadas elas são separadas nos cavaletes e entregue ao cliente.
 
Preparando o ambiente
Gerais:
– Sistemas para a retirada de calor do ambiente fabril são fundamental, bem como sistemas de isolamento térmico e acústico.
– A distancia entre os pontos de estoque e manuseio deve ser a menor possível.
– Os locais de trabalho precisam contar com iluminação de maneira e intensidade adequadas a operação
 
Para a área do forno de têmpera
A área deve ser isolada, com acesso restrito.
– A área do soprante deve ter:
* Grades de proteção contra arremesso de pedaços quentes de peças quebradas durante o processo.
* Meios de contenção do ruído gerado no processamento do vidro
– As áreas de aquecimento e resfriamento das peças devem conter avisos de perigo e proteção contra acessos indevidos.
– O leiaute do forno deve permitir a extração do ar quente proveniente do processo de têmpera para o exterior do ambiente fabril.
– Sempre manusear peças quentes com luva térmica.
 
Como levar o vidro de um espaço para o outro
– Devem- se sempre colocar primeiro as peças maiores nos cavaletes e carretas, e só depois as médias e pequenas.
– O trabalhador nunca deve manusear chapas e peças sozinhos
– As peças devem ser manuseadas sempre na vertical e com recortes e furos voltados para cima.
– É necessário intercalar todas as peças e chapas de vidro (colocar o calço de papelão), para não haver contato direto de vidro com vidro.
– O manuseio correto de peças grandes e chapas na têmpera é feito pelos sistemas de roletes laterais do forno, tanto no carregamento como no descarregamento, elas nunca devem ser colocadas pela frente das esteiras.
Veja os cuidados que devem ser tomados nas têmperas de vidro.
Veja os cuidados que devem ser tomados nas têmperas de vidro.
Cuidados ao lidar com o forno de têmpera
As instruções valem tanto para trabalho com forno horizontal como vertical:
– A equipe envolvida na atividade precisa ter um número adequado de funcionários, todos treinados e cientes de sua atividade, atribuições e responsabilidades.
– O uso de luvas térmicas é obrigatório para operações de emergência.
 
O que não se deve fazer na têmpera
Nunca se deve concentrar todo o processo de têmpera em apenas um ou dois trabalhadores. É necessário distribuir entre a equipe atividades como:
* Verificação da qualidade e atributos das peças antes da seguir para o processo do forno.
* Operação do equipamento
* Monitoramento e correções
* Retirada das peças
* Manuseio das peças
* Verificação das peças após o processo de têmpera
* Embalagem das peças com intercalários calços.
– O manuseio de peças quentes não pode ser feito sem o uso de luvas térmicas
– O ambiente de trabalho não pode estar desprovido de sistemas de isolamento térmico e acústico instalado de forma correta, sem amadorismo ou improvisação.
– Como em todas as etapas de processamento do vidro, é inadmissível que os profissionais da têmpera não recebam treinamento adequado antes de iniciar suas atividades.
 
Essas foram algumas dicas que a ANAVIDRO trouxe para você, mas lembre-se o treinamento é importantíssimo para se iniciar um bom trabalho em equipe.
Duvidas entre em contato conosco pelo e-mail: web@anavidro.com.br

Possivelmente foi observando o reflexo na água que as civilizações antigas se inspiraram na fabricação do espelho, um objeto simples com uma película de metal polido e uma camada de vidro, que facilita nossa vida no dia a dia.

Espelho sendo inspecionado,  caso tenha alguma bolha no vidro a parte é cortada.
Espelho sendo inspecionado, caso tenha alguma bolha no vidro a parte é cortada.
Para a fabricação do espelho o primeiro passo é a limpeza do vidro com água comum para tirar os resíduos que ficam, depois é usada água desmineralizada (livre de sais minerais) para uma limpeza mais profunda.
O segundo passo é aplicar uma camada de prata metálica formada por reações químicas do nitrato de prata que adere completamente ao vidro, é essa camada de prata metálica que faz do vidro um espelho. O processo é controlado por robôs computadorizados, pois cada metro quadrado deve receber 900 miligramas do metal.
A terceira etapa é pulverizar uma camada de tinta preta atrás da superfície, protegendo contra corrosão. Os fabricantes preferem usar tintas pretas impermeáveis passando duas camadas de tinta no espelho, pois a umidade é um dos principais inimigos da prata.
Na última etapa a chapa do espelho é introduzida em um forno a gás para secar, a uma temperatura de 150ºC.
E após o processo de resfriamento o seu espelho já esta pronto para você admirar sua beleza!
Veja o vídeo com mais detalhes da fabricação:
Fontes:
wikipedia
mundoestranho
setorvidreiro

O 1º Encontro Nacional de Temperadores, primeiro evento exclusivamente preparado para as têmperas, fundamentais para a cadeia produtiva do vidro, foi realizado entre os dias 30 de maio e 2 de junho em Atibaia e foi um grande sucesso, representando mais uma etapa importante para o crescimento do setor vidreiro.
A Anavidro, entidade apoiadora do evento, marcou presença como representante dos principais consumidores das têmperas, as vidraçarias, que interferem diretamente no mercado por sua influência na compra de produtos. “Foi fundamental salientar a importância das vidraçarias para os produtores de vidros temperados e falar sobre a relação com o consumidor”, declara Elmo Pires, organizador do evento e editor da revista Tecnologia & Vidro, responsável pela cobertura oficial do encontro.
Segundo Elmo, a iniciativa de promover o encontro valeu muito a pena. “O evento superou as nossas expectativas. Apesar de concorrentes, os participantes vieram dispostos a discutir soluções comuns para o segmento, o que contribuiu para um ambiente acolhedor e aconchegante”, declarou.
O formato aplicado foi elogiado tanto pelo conteúdo selecionado para os participantes quanto pelo formato aplicado, oferecendo amplas possibilidades de participação ativa para o público. Firmado nestas bases, o projeto deve seguir adiante.
“Todos os conteúdos, escolhidos previamente pelos participantes, tiveram sua importância para o setor. Foi uma grande satisfação para todos os que compareceram e já planejamos um evento semelhante para o ano que vem”, conclui Elmo.
A cobertura completa você encontra na próxima edição da Tecnologia & Vidro, mas, enquanto isso, todas as fotos já estão no ar, na fan page da publicação.
1_encontro

O 1º Encontro Nacional de Temperadores começa no dia 30 de maio, quinta-feira, e vai até o dia 2 de junho, domingo, contando com uma série de palestras com especialistas do mercado preparadas especialmente para as têmperas.
Além de ser o primeiro evento completamente voltado para temperadores, fundamentais para toda a cadeia produtiva do setor vidreiro, o encontro é uma oportunidade para angariar conhecimentos que podem ser úteis para o crescimento de todo o segmento.
Aproveitando toda a estrutura do Hotel Fazenda Hípica Atibaia, o 1º Encontro Nacional de Temperadores trará também atividades de integração e confraternização, promovidas para estreitar ainda mais as relações entre os fornecedores e os clientes que prestigiarão a iniciativa.
Para saber mais sobre o encontro, acesse o site oficial do evento. A programação completa você confere clicando aqui.

Para mais informações, acesse www.encontrodetemperadores.com.br
Para mais informações, acesse www.encontrodetemperadores.com.br

O 1º Encontro Nacional de Temperadores, que será realizado entre 30 de maio e 2 de junho no Hotel Fazenda Hípica Atibaia, divulgou a programação completa dos quatro dias de evento.
Apoiado pela Anavidro, o encontro é o primeiro voltado exclusivamente para as têmperas, debatendo assuntos diretamente relacionados a esse importante segmento da cadeia produtiva do vidro. Ao longo de quatro dias, os presentes desfrutarão de uma série de palestras e confraternização.
Para saber mais sobre o 1º Encontro Nacional de Temperadores, acesse www.encontrodetemperadores.com.br. Abaixo, listamos a programação, com destaques para as palestras com importantes nomes do setor vidreiro.

1º Encontro Nacional de Temperadores: foco exclusivo nas têmperas de 30 de maio a 2 de junho (www.encontrodetemperadores.com.br)
1º Encontro Nacional de Temperadores: foco exclusivo nas têmperas de 30 de maio a 2 de junho (www.encontrodetemperadores.com.br)
30/5 – Quinta-Feira
15h – Recepção
17h – Boca no Trombone
19h – Coquetel de Boas Vindas
19h40 – Jantar de Boas Vindas
31/5 – Sexta-Feira
8h30 – Abertura
9h – Maurício Ribeiro: Como fidelizar meus clientes?
9h30 – Elisabeth Abduch: Ferramentas de marketing aplicadas às temperas.
10h – Coffee Break
10h30 – Silvia Grilli: Como os vidros temperados e serigrafados podem conquistar o setor moveleiro?
11h – José Carlos Passi: Respeitando meu concorrente e o mercado.
11h30 – Pedro da Matta: Lucrando com vidros de controle solar que podem ser temperados.
12h30 – Almoço
Tarde – Dinâmica, Esclarecimento de dúvidas e Boca no Trombone
20h – Jantar temático
1/6 – Sábado
9h – Fábio Reis de Almeida: A responsabilidade do fabricante para com a qualidade da transformação.
9h30 – William Timóteo: Por que algumas vidraçarias conseguem dar cano em várias têmperas?
10h – Coffee Break
10h30 – Jonas Comin: Meu negócio está dando lucro ou prejuízo?
11h – Miroslava Hamzagic: Quais são realmente meus custos com transportes? Como reduzi-los?
11h30 – Kátia Sugimura: Entendendo as características dos clientes vidraceiros.
12h30 – Almoço
Tarde – Espaço Mulher, Esclarecimento de dúvidas, Boca no Trombone
20h – Jantar temático
2/6 – Domingo
9h – Daniel Leicand: Custo de lapidação de vidros: como reduzi-los mantendo a qualidade?
9h30 – Jô Campanharo: Liderança que estimula mudanças
10h – Encerramento e votação
12h – Almoço
15h – Check out

O 1º Encontro Nacional de Temperadores, que será realizado entre os dias 30 de maio e 2 de junho, é o primeiro evento dentro do segmento vidreiro com foco exclusivo nas têmperas de vidro, fundamentais para o crescimento do setor.
Apoiado pela ANAVIDRO, o evento divulgou recentemente os palestrantes que falarão ao lado de José Antonio Passi, Maurício Ribeiro e Kátia Sagimura, já anunciados aqui. Passi falará sobre a relação de respeito entre concorrente e o mercado, enquanto Ribeiro abordará a fidelização de clientes e Sagimura falará sobre as características dos clientes vidraceiros.
Elisabeth Abduch – Ferramentas de Marketing aplicadas às temperas
Arquiteta e empresária, a frente do EA Studio – Elisabeth Abduch Studio, empresa especializada em Branding e Gestão Estratégica do Design, que atende marcas premium e de luxo nos segmentos da Arquitetura, Design e Moda. Ex-diretora de Marketing & Negócios para a Guardian na América Latina, onde atuou por 13 anos e ajudou a transformar commodities em marcas de valor.
Fábio Reis de Almeida – A responsabilidade do fabricante para com a qualidade da transformação
Gerente Comercial da Guardian do Brasil, responsável pela condução do programa de certificação de clientes na América Latina. Como engenheiro de processos tem expertise na transferência de novas tecnologias, desenvolvimento e especificação de novos produtos, bem como procedimentos operacionais e metodologia utilizada na fabricação de filmes finos na área de vidros.
Sílvia Grilli – Como os temperados e serigrafados podem conquistar o setor moveleiro?
Designer de produtos com especialização em ‘interior design’ na Scuola Lorenzo de Médici (Florença), consultora de diversas empresas do setor móveis/decoração nas áreas de criação, produtividade e estratégias de mercado. Seu portfólio reúne prêmios e centenas de projetos para organizações públicas e privadas, universidades e indústrias de móveis em todo o Brasil.
Lucas Oliveira – Lucrando com vidros pintados que podem ser temperados
Gestor de Marketing e Comunicação Corporativa da AGC Vidros do Brasil. Graduado em Publicidade e Propaganda e possui MBA em Inovação e Gestão Estratégica da Competitividade e Administração e Negócios, ambas pela University of Miami/EUA. Possui larga experiência nas áreas de Vendas, Marketing, Trade Marketing e Comunicação em indústrias dos segmentos B to B e B to C como Mars, Bunge e Castrol, entre outras.
Jô Campanharo – Liderança que estimula mudanças
Consultora especialista em mercado e vendas desde 1981. Acadêmica de Filosofia/UFES, tecnóloga em Gestão Mercadológica, especialista em Marketing de Relacionamento (Marketing Relationship) pela FIU (Flórida/EUA), entre outras qualificações.

Para mais informações, como programação completa do evento e como participar, acesse http://www.encontrodetemperadores.com.br/

Na semana passada, falamos aqui no site da Anavidro sobre o vidro temperado, vidro de segurança, muito resistente às variações térmicas e aos choques mecânicos. Hoje, falaremos um pouco sobre as têmperas de vidro, empresas que fazem esse tipo de beneficiamento do material e são fundamentais para o segmento.

Destaque da esteira de um forno horizontal de têmpera (tecmedrado.blogspot.com)
Destaque da esteira de um forno horizontal de têmpera (tecmedrado.blogspot.com)
Atualmente, o país conta com mais de 300 empresas somente neste setor e, em 2011, o número de fornos de têmpera no país rumava aos 350, segundo um estudo da revista Tecnologia & Vidro (que você pode conferir na íntegra ao final do texto). Os fornos podem ser verticais ou horizontais, sendo que a horizontalidade faz com que o vidro receba uma distribuição mais uniforme do calor. Além disso, os fornos horizontais aceitam chapas maiores de vidro – desde que estejam de acordo com as normas da ABNT.
Chegando aos 350 fornos de têmpera
E não se esqueça: de 30 de maio a 2 de junho acontece o 1º Encontro Nacional de Temperadores, evento específico para esta área do segmento vidreiro e que contará com o apoio da Anavidro. Para mais informações, acesse www.encontrodetemperadores.com.br
Fontes:
http://www.setglass.com.br/
http://www.palaciodoscristais.ind.br/tempera-de-vidro.php

O vidro temperado é uma chapa de vidro comum submetida a um processo de aquecimento a altíssimas temperaturas seguido por um resfriamento brusco, produzindo um material muito superior ao vidro regular em dureza e resistência sem perder transparência ou cor.

Como o material passa a ser menos maleável, os recortes e furações representam a primeira etapa do processo de temperamento do vidro. Logo após, as lâminas passam passa o forno, onde são aquecidas até cerca de 650 °C e resfriadas com ar pressurizado logo em seguida.

 

Temperamento do vidro

No temperamento químico, as chapas ganham resistência por meio do choque entre o óxido de sódio do vidro e o nitrato de potássio derretido no qual ele é imerso. Ambos os processos são irreversíveis, logo, o vidro temperado não pode ser furado ou lapidado, e, quando quebrado, fragmenta-se em pedaços pequenos, pouco cortantes. Assim, é ideal para aplicações que necessitem de durabilidade, resistência e segurança, como os boxes de banheiro.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Vidro_temperado
http://www.guiadovidro.com.br/tipos-de-vidro
http://noticias.vidrado.com/destaque/home-fim/principais-tipos-de-vidro/

A Associação Nacional de Vidraçarias é uma das apoiadoras do 1º Encontro Nacional de Temperadores, a ser realizado entre os dias 30 de maio e 2 de junho. O evento, que também terá o apoio da Abrasipa e da Diamanfer e é promovido pela VidroTV, pela Tecnologia & Vidro e pela Buscavidro, tem como objetivo debater o futuro do setor de têmperas no país por meio da resolução das principais dúvidas dos empresários.
O tema “Novos desafios num mercado em transformação” será apresentado em painéis expositivos e contará com participação ativa do público, que, por de uma seleção de perguntas, produzirá as pautas a ser debatidas. A sede do encontro será o Hotel Fazenda Hípica Atibaia, localizado a cerca de uma hora da capital.
José Antonio Passi, diretor da Divinal Vidros, Maurício Ribeiro, diretor da Viminas, e Kátia Sugimura, diretora da Universo Vítreo e ex-coordenadora de marketing da Saint-Gobain Glass, são os palestrantes confirmados até o momento.

José Antonio Passi (Divinal Vidros), Maurício Ribeiro (Viminas) e Kátia Sugimura (Universo Vítreo) , primeiros palestrantes confirmados no evento (www.encontrodetempreadores.com.br)
José Antonio Passi (Divinal Vidros), Maurício Ribeiro (Viminas) e Kátia Sugimura (Universo Vítreo) , primeiros palestrantes confirmados no evento (www.encontrodetempreadores.com.br)
“Apesar de muitos eventos voltados ao setor, não havia nada com enfoque tão específico nos temperadores, que têm um papel fundamental na cadeia do vidro”, comenta Elmo Pires, idealizador e organizador do evento. “A presença da ANAVIDRO como representante das vidraçarias, principais clientes dos temperadores, é muito importante, tanto pela visão do mercado quanto pela experiência”, complementa.
Para conferir a programação do evento e para obter mais informações, acesse www.encontrodetemperadores.com.br.

TOPO