Autor

AnaVidro

Procurando

SIMBRIE - 2º Simpósio Brasileiro da Indústria de EsquadriasAs Esquadrias de Alto Padrão trazem em si uma expectativa maior de valorização.

Os Arquitetos e moradores de residências de alto luxo buscam sempre esse tipo de produto, pois percebem o valor agregado. Em obras de Alto Padrão, a escolha das esquadrias costuma incluir fatores de conforto, condutibilidade térmica, vidros com performance acústica superior, segurança e recursos de automação residencial, entre outros itens que agregam valor.

Como explorar o mercado, ter acesso as melhores tecnologias e inovações para que as propostas de valor sejam bem atrativas para a efetivação dos negócios é o tema que norteia o 2º SIMBRIE – Simpósio Brasileiro da Indústria de Esquadrias: Mercado, Tecnologias e Inovações das Esquadrias de Alto Padrão.

“O Simpósio reunirá muitas pessoas interessadas em esquadrias, mercado de alto padrão, tecnologias e inovação, consultores, acadêmicos, especialistas e empresários de altíssima qualidade ministrando palestras, participando de debates e também haverá muito networking”, afirma o diretor técnico do evento, Prof. MSc. Alexandre Araujo.

Organizado pelo Canal do Serralheiro, sob a coordenação do Prof. MSc. Alexandre Araujo, o Simpósio neste ano completa 2 anos de existência. Segundo o diretor técnico do Simpósio, o evento proporcionará muito conhecimento e troca de experiências para ser usado no dia a dia dos participantes, deixando-os mais competitivo no mercado de esquadrias.

No site do evento estão confirmados 17 especialistas renomados, 10 palestras e 2 painel de debates. A previsão da coordenação do evento é que participem mais de 120 pessoas, entre elas consultores, empresários, instituições e fornecedores do segm ento de esquadrias.

“O 2º SIMBRIE tem como objetivo reunir uma equipe multidisciplinar de acadêmicos, consultores, empresas fornecedoras, entidades de classe e executivos renomados do mercado de esquadrias, que apresentarão estudos e propostas para uma melhor performance das Indústrias de Esquadrias”, finaliza o Prof. Alexandre Araujo.

Mais informações e inscrições podem ser feitas no site do evento: www.simbrie.com.br.

Data: 10 de abril de 2019
Horário: 07h30 às 18h00
Local: Auditório da Divinal Vidros
Endereço: Av. Torres de Oliveira, 255, Jaguaré, São Paulo, SP
Realização: Canal do Serralheiro

Negócio automotivo feito por mulheres e para mulheres “Lugar de mulher é onde ela quiser”Saiba como e porquê a Pilkington resolveu investir em uma rede de lojas que emprega mulheres em funções até então majoritariamente exercidas por homens, além de ter como público alvo principal as mulheres também.

Luciana Alves, Coordenadora de Marketing da Pilkington, explica a estratégia!

Por que a empresa decidiu focar no público feminino?

Infelizmente, ainda hoje em dia há muito preconceito em relação à presença feminina no mercado automotivo, seja como profissional ou como consumidora. Essa situação entristecia muito a Pilkington e, então, a empresa resolveu agir, pois não há, nem pode haver qualquer tipo de diferenciação entre os gêneros. O lugar da mulher é onde ela quiser! A Pilkington quer um mercado automotivo em que a mulher tenha o respeito e a importância que ela merece.

As mulheres tem conquistado espaço e apoio em todos os cenários e lutado por mais igualdade de direitos, principalmente os trabalhistas. São elas quem tomam a decisão no processo de compra, são consumidoras exigentes e estão sempre atentas às novidades do mercado.

O público feminino costuma ser mais atento, criterioso e exigente. Nossa experiência mostra que as mulheres tem sensibilidade para repararem em coisas que os homens não reparam. São mais detalhistas, querem perfeição nos produtos e nos serviços oferecidos. Isso nos motiva muito, porque a Pilkington preza muito por qualidade e o público feminino valoriza ainda mais nossos serviços.

Atenta a esse cenário, a Pilkington decidiu investir no público feminino. Pois, queremos desmistificar a lenda de que a loja de vidro é uma borracharia ou oficina mecânica, onde mulheres não ficam à vontade. O objetivo das lojas de serviços é fazer com que a mulher se sinta bem, em um ambiente limpo, organizado e padronizado.

Desde o início, percebemos que o mercado de trabalho, até então dominado por homens, passa a sentir a diferença de ter mulheres na linha de frente. A consumidora fica mais segura e se sente mais acolhida com a presença de uma instaladora na loja. Além do mais, as mulheres são mais cuidadosas e detalhistas no serviço. Com certeza, estamos quebrando paradigmas e pré-conceitos!

A maioria dos compradores no mercado automotivo são do sexo feminino. Esse foi um fator preponderante na tomada de decisão?

Negócio automotivo feito por mulheres e para mulheres “Lugar de mulher é onde ela quiser”Com certeza, as mulheres são maioria no país, nas universidades e no universo das compradoras de veículo. Então, acreditamos estar no caminho certo, disponibilizando um atendimento de qualidade e considerando as mulheres como um público primordial para nossos produtos e serviços.

No mercado automotivo especificamente, elas são a maioria dos compradores (58%) e exercem influência direta em até 80% das compras e vendas de veículos. Então, não tínhamos dúvidas que investir no público feminino e na contratação de mulheres seria essencial e um diferencial estratégico do negócio.

Como foi o processo até a Pilkington chegar a essa estratégia de negócio voltada para as mulheres?

Foi natural. Para nós, uma multinacional do ramo automotivo que sempre teve mulheres em todas as frentes de trabalho, não é novidade valorizar as mulheres.

O que nos assustava era perceber que no mercado, fora da empresa, a realidade é outra.

Infelizmente, ainda são comuns casos de diversos tipos de desrespeito para com a mulher em oficinas mecânicas, por exemplo, que vão de assédio propriamente dito até a ideia preconceituosa de que “mulher não entende de carro”, e, por isso, o profissional entende que pode tirar vantagem da situação fazendo um serviço desnecessário no carro da cliente, ou cobrando mais caro do que o que seria justo naquela situação.

Por todas essas razões, muitas mulheres também não se sentem confortáveis para tomarem decisões sobre seus veículos ou até mesmo para frequentarem estabelecimentos que prestem esses serviços. Essa triste discrepância, entre a realidade da Pilkington e o problema encontrado no mercado, foi um motivador natural para traçarmos essa estratégia.

Vale lembrar que esse tema não é recente, pois desde 2016, a Pilkington tem se aproximado do público feminino com o blog “Agora é com Elas” (http://agoraecomelas.com.br), a newsletter “Agora Mulheres” e em suas redes sociais. Além disso, a empresa possui um Comitê Global de Inclusão e Diversidade, que tem trabalhado com o objetivo de oferecer um ambiente de trabalho e cultura mais inclusivos e debatemos sobre a inclusão da mulher no mercado de trabalho desde o início.

Como funciona esse empoderamento feminino no dia a dia da empresa?

Na Pilkington não há qualquer tipo de distinção entre os gêneros. Aqui, nós mulheres sempre nos sentimos perfeitamente incluídas, respeitadas e valorizadas.

As mulheres estão em todas as frentes de trabalho na empresa: em cargos de liderança, como coordenadoras, gerentes e diretoras, e nas mais diversas áreas, como nas linhas de operação, fabricação e manutenção, centros de distribuição, logística e administrativo.

A empresa oferece ferramentas adaptadas e modernas, que diminuem o esforço físico da colaboradora, e investe em treinamentos constantes.

Todas as nossas lojas tem pelo menos uma mulher como instaladora de vidros automotivos, cargo que, no mercado, é majoritariamente masculino.

Neala Marques, que atualmente é Coordenadora das Lojas em todo Brasil, foi a primeira instaladora e atualmente é multiplicadora do projeto e instrutora do centro de treinamento, afirma: “o projeto tem alma feminina desde o início”.

Além disso, nos processos seletivos oferecemos oportunidades iguais para homens e mulheres nas entrevistas e não há desigualdade salarial entre homens e mulheres que exercem a mesma função.

Sobre a Pilkington

Fundada em 1826, a inglesa Pilkington tornou-se líder mundial na fabricação de vidros. Em 2006, a Pilkington foi adquirida pelo NSG Group, que pertence ao Grupo Sumitomo. A empresa está presente em 28 países com fábricas e comercializa para 150. No mundo, emprega cerca de 27 mil pessoas e a unidade brasileira conta mais de um mil colaboradores.

A Pilkington possui mais de 1,5 mil clientes lojistas pelo Brasil, 14 unidades de distribuição e sete plantas automotivas no país. A Rede de Serviços Pilkington conta com mais de 20 lojas, que podem ser encontradas em São Paulo (SP) com quatro unidades (Zona Norte, Zona Sul, Zona Leste e Zona Oeste); Guarulhos (SP); Osasco (SP); Campinas (SP); Santos (SP); Sorocaba (SP);  São Bernardo do Campo (SP); São José do Rio Preto (SP); Porto Alegre (RS); São José (SC); Curitiba (PR); Londrina (PR); Rio de Janeiro (RJ); Belo Horizonte (MG); Goiânia (GO); Maceió (AL); Recife (PE); Salvador (BA) e Fortaleza (CE).

Saiba mais: http://www.lojaspilkington.com.br

O que uma associação pode fazer por você? Como se associar?Entenda as inúmeras vantagens em se associar

A ANAVIDRO traz para os seus associados uma série de vantagens exclusivas que realmente contribuem para uma maior crescimento profissional e visibilidade de sua empresa.

As palestras e debates sobre temas de destaque no mercado e network entre os participantes são muito importantes para a interação do novo associado no mercado vidreiro.

Ao se associar, é possível participar de comitês de trabalho da associação, treinamentos e consultas sobre questões tributárias, jurídicas e de gestão, acesso a oportunidades de negócios, troca de experiências e informações entre os associados, descontos exclusivos em cursos, eventos e muito mais.

Por que se associar?

A criação de uma associação é definida com o objetivo de servir os seus integrantes em diversas causas, na categoria em que atuam. Além disso, é importante para conquistar finalidades comuns, reforçar a representatividade do negócio e defender os interesses dos associados.

Uma associação deve trabalhar focada em ajudar seus integrantes a alcançar objetivos comuns para o crescimento dos negócios. Desta forma, atua no mercado para satisfazer as necessidades coletivas, além de reunir esforços, reivindicar melhorias no segmento e defender os interesses dos associados.

Existem outros pontos importantes como criar processos de produção e comercialização de formas colaborativas, melhorar a qualidade de vida desses trabalhadores e atuar no desenvolvimento da região na qual a associação pertence.

As associações são criadas para fortalecer as relações entre os empresários, setores, funcionários e demais integrantes que atuam de forma direta em um mesmo segmento, fortalecendo os canais de relacionamento.

Um artigo publicado no portal dos Administradores relata o interessante exemplo das entidades de classe, que através de seus associados, conseguem alcançar resultados que se refletem no cotidiano tanto das empresas, quanto de seus funcionários e sociedade em geral.  

O texto ainda conclui que as associações desenvolvem um importante papel de conscientização e fiscalização da sociedade, porque através de suas ações é que se criam espaços de partilha, pontos de encontro, dinâmicas desportivas, recreativas e culturais. E ainda, promove-se a cidadania, defendendo seus associados, valorizando o profissional, zelando pela ética e a defesa dos participantes.

Se formos olhar sob a questão econômica, nota-se que a união de empresas permite que elas obtenham melhores resultados, além de beneficiar as economias de escala, aumentar o poder de negociação e reduzir riscos aos negócios.  Outra questão interessante é que uma associação proporciona não apenas ‘vantagens competitivas’, mas também, uma redução de custos de comunicação com o mercado e de despesas administrativas, pois oferece benefícios conjuntos na preparação dos empresários e trabalhadores.

Vantagens ao se associar à ANAVIDRO

Então conheça os benefícios de ser um associado ANAVIDROAgora que você já conhece os benefícios de ser um associado, conheça o site ANAVIDRO e realize seu cadastro.  Para ser um associado, é preciso ter uma vidraçaria ou trabalhar de forma direta no segmento vidreiro como colaborador. É possível se associar sendo fabricante de vidros, transformador, distribuidor, revendedor e profissional autônomo  

Ao se associar, você receberá mensalmente informativos com notícias atualizadas sobre alterações de normas e tendências do mercado vidreiro. Existem reuniões frequentes onde seus associados são avisados com antecedência para participarem.

A ANAVIDRO mantém um fórum no WhatsApp com todos os seus associados, para garantir a troca de experiências, informações, novidades e comunicados. Basta se associar para fazer parte do grupo.

A associação está em constante atualização sobre as novidades do mercado e mudanças de normas. Para isso, estabelece parcerias com escolas do setor, promovendo cursos presenciais e online, onde todos contam com descontos exclusivos.

O associado pode contar com um verdadeiro suporte que vai auxiliá-lo no crescimento do seu negócio. A ANAVIDRO fornece assessoria contábil e jurídica, consulta ao SPC, atendimento técnico (esclarecimento de dúvidas e respostas às perguntas), suporte para a abertura de site e redes sociais e participação no índice comercial de associados do portal.

Conheça a ANAVIDRO, venha nos visitar!

Fontes:
www.anavidro.com.br
http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/a-importancia-de-associar-se/106619/

Pretende fazer um curso no setor vidreiro?Saiba os requisitos mínimos para fazer um curso na área e entre em um mercado de grandes oportunidades

Todos já sabemos que é inquestionável a importância da educação para a formação profissional de todo cidadão. Análises do portal CEBIC – Normas Técnicas de Construção – comprovam que são necessários pelo menos oito anos de estudo para se obter conhecimentos mínimos e conquistar as melhores oportunidades de trabalho.

Isso comprova que investimentos em educação proporcionam melhorias no desempenho individual do trabalhador, fortalecendo suas competências e, por consequência, aumentando sua produtividade e qualidade no trabalho, além de facilitar a inclusão social.

Um outro estudo feito pelo SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), mostra que a difusão rápida de determinadas tecnologias inovadoras de construção (com crescimento acima de 30% nos últimos 20 anos) gerou demandas maiores por certos profissionais, como é o caso dos aplicadores de material isolante, dos montadores de paredes de gesso acartonado e dos instaladores de vidros em geral.

Dados da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (ABRAMAT), comprovam a importância de criar mecanismos que facilitem o aumento de trabalhadores do segmento da construção civil como um todo, ao frequentarem cursos de aperfeiçoamento.

No caso do setor vidreiro, que vem capacitando os trabalhadores e promovendo as certificações profissionais – seja na produção ou na instalação de vidros – os diversos cursos disponíveis hoje ajudam a melhorar também a confiança daqueles que contratam. Além disso, promove o desenvolvimento socioeconômico de uma parcela significativa de trabalhadores na sociedade brasileira.

Cursos para vidraceiros crescem a cada dia

Um recente levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), confirma uma realidade sentida na prática pelo setor vidreiro. Os dados mostram que apenas 51% das pessoas que buscam o primeiro emprego são qualificadas.

A região sudeste de São Paulo é a que mais oferece cursos para formação ou aperfeiçoamento de vidraceiros. As demais dependem de iniciativas de entidades ou empresas para abrirem.

Segundo matéria da revista Tecnologia & Vidro, nas demais regiões brasileiras, a formação profissional depende de iniciativas de empresas ou entidades associativas. Muitos profissionais viajam para São Paulo ou para o Rio de Janeiro com o objetivo de obterem suas qualificações ou, em uma opção mais recente, fazem cursos on-line.

Salários atrativos para o setor vidreiro

Apesar dos salários atrativos para uma profissão que não exige muito tempo para a formação, existe a falta de profissionais. Um dos motivos é que os empresários precisam contornar a escassez de trabalhadores que foram seduzidos por uma ferramenta bastante poderosa: a tecnologia. Com a modernização digital, os jovens estão cada vez menos dispostos a operar ferramentas e carregar peso. Sabemos que muitos jovens preferem o conforto do escritório à linha de produção, mesmo desprezando salários atrativos.

Na região Sudeste, por exemplo, a média salarial de um instalador de vidros temperados experiente é superior a R$ 2 mil. Já um instalador experiente em fechamento de varandas com o sistema que permite a abertura total, também conhecido como cortina de vidro, pode pedir R$ 3 mil, sem medo de ter sua proposta rejeitada pelo empregador.  Inicialmente, as vidraçarias contratam os recém-formados como ajudantes e vão observando seus comportamentos até confiarem a eles os trabalhos mais delicados.

Cursos técnicos e de aperfeiçoamento no setor vidreiro

ANAVIDRO

Associação Nacional de VidraçariasA Associação Nacional de Vidraçarias, com sede em São Paulo, promove diversos cursos para vidraceiros não penas na capital paulista, mas também em outras cidades e estados. Nesta entidade, é possível escolher alguns cursos como: Aplicação do Vidro na Construção Civil, Aplicação de Folgas em Projetos e a oficina ‘Como Precificar Corretamente’.

  • Workshop Como Precificar Corretamente – esse encontro foi recentemente realizado em Teresópolis, Rio de janeiro, e ministrado pelo professor Alexandre Araújo, CEO do Canal do Serralheiro. Seu objetivo foi conscientizar os participantes da importância de calcular todos os gastos para a formação do preço de venda. Desenvolver habilidades para precificar produtos e/ou serviços de forma correta, segura, com lucro e sem margens de erros. A carga horária foi de 1 dia, 9 horas/aula.

Escola do Vidraceiro

A escola fica em São Paulo. Para saber mais, acesse o site. Os cursos estão detalhados a seguir, são relativamente curtos, com cargas horárias que variam entre 2 a 3 dias. Mas a escola também oferece os intensivos, de um dia, de Box de Aço Inox, Envidraçamento de Ambientes e de Vidro de Controle Solar.

Técnico de vidraceiro

Esse curso funciona como um a base inicial para quem pretende entrar no mercado de vidros e a boa notícia é que costuma ser gratuito. Com uma carga horária de 60 horas/aula, a programação inclui: características, beneficiamento e correta especificação dos vidros em geral; elaboração e apresentação de orçamento, medição, projeto, folgas, desenho de planta baixa, elevação; elaboração do projeto para fabricação dos vidros; instalação e regulagem de molas, ferragens e perfis, incluindo conjunto de correr; instalação de box de correr e abrir; corte, noções de lapidação e instalação de vidros comuns.

Técnico de vidro temperado

O curso aborda características do produto, especificações, medição, projeto, molas, instalação de box, noções de instalação em engenharia, espelho e orçamento.

  • Pele de vidro – fachada cortina, fachada glazing, desenhos, procedimentos de colagem, conceitos de utilização do vidro.
  • Guarda corpo e Spider – conceito, características mecânicas, medição técnica, aplicação, tipos de spider, produtos de guarda-corpo.
  • Portas automáticas – análise do local a ser instalada, verificação do sistema elétrico, dimensionamento das portas, vidros, fixação dos equipamentos e montagem do movimentador, ligação e programação do sistema eletrônico.
  • Envidraçamento de sacada – medição técnica, desenvolvimento do projeto e orçamento, preparação das peças, especificações técnicas do sistema, aspectos jurídicos da utilização em fachadas.
  • Serralheria básica alumínio na construção civil, janelas, caixilhos, esquadrias, dimensionamento de vãos, mercado, produtos, linhas fechadas e prática de montagem de esquadria.

Outros cursos pra vidraceiros

Kit sacada Alclean

A fabricante de kits para montagem de boxes e sacadas Alclean fornece cursos gratuitos para clientes que tenham feito ao menos uma compra e se cadastrado. Eles acontecem na sede da empresa, na Grande São Paulo. Para mais informações sobre os cursos citados acima mande e-mail clicando aqui.

Cursos online Acrisoft e setor vidreiro

Uma opção interessante são os cursos via Internet, apesar de não incluírem a parte prática e serem, por isso, pouco valorizados pelas vidraçarias. A Acrisoft comercializa um curso para vidraceiros em CD-Rom.

Central do vidraceiro

A empresa fluminense ministra aulas de Vidro Temperado em alguns estados, incluindo, São Paulo e Rio de Janeiro.

Curso Envidraçamento de Sacadas (Cortina de Vidro) e Montagem de Guarda Corpos (marca Q-Railing)

São realizados no Rio de Janeiro, em São Paulo e Bahia, em parceria com a revista Vidro Impresso. São cursos de apenas 1 ou 2 dias, com o máximo de 16 horas/aula. Confira:

Curso Vidro Temperado

2 dias de curso (16 horas/aula), realizado em São Paulo, Bahia e Rio de janeiro.

Curso Envidraçamento de Sacada

1 dia de curso (8 horas/aula), é realizado em São Paulo e no Rio de Janeiro

Serralheria Básica

1 dia de curso (8 horas/aula), somente no Rio de Janeiro

Cursos com o professor Pedro Pina

Referência em cursos para vidraceiros há mais de 40 anos, o professor Pedro Rogelio Pina possui datas disponíveis para cursos em empresas. Curso de Vidros Temperados: com 40 horas/aula.

Cursos com o professor Jatanael Moreira

Outro professor bastante procurado é Jatanael Moreira, da empresa Projeto Certo, sediada em Diadema (Grande São Paulo). Ele ministra cursos básicos (de 40 horas/aula, em três dias) e avulsos pela ANAVIDRO (Associação Nacional de Vidraçarias).  O professor também oferece cursos por todo o Brasil, principalmente no Nordeste, em parceria com entidades ou temperadores.

ABRAVIDRO e SENAI-SP

Pioneiro no programa de formação continuada qualificada, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (SENAIS), em parceria com a Associação Brasileira dos Distribuidores e Processadores de Vidro Plano (ABRAVIDRO), mantém cursos há 15 anos. Veja a seguir:

  • Curso de VidraceirosA carga horária é de 160 horas, com aulas de segunda a sexta-feira no período noturno ou aos sábados o dia todo. Esse curso é pago e na grade curricular estão incluídas disciplinas como: história do surgimento do vidro, noções do processo fabril do vidro comum, têmpera, laminação, espelhação, corte, lapidação, furo, medição, colocação do vidro comum, medição, desenho, folgas e colocação do vidro temperado.As turmas são formadas por até 12 alunos para facilitar o aprendizado e a coordenação disponibiliza vagas abertas por empresas em um mural, para que eles possam se inscrever nos processos seletivos.
  • AMVID e SENAI (MG) – A Associação Mineira do Comércio Atacadista, Varejista e dos Beneficiadores do Vidro (AMVID) em parceria com o SENAI Paulo de Tarso, promovem cursos durante todo o ano para a qualificação dos vidraceiros do estado de Minas Gerais.
  • Capacitação Básica para Vidraceiros – Esse curso é a porta de entrada para os demais cursos e acontece periodicamente deste 2007. É o curso que permite que o participante receba as informações gerais necessárias para que possa iniciar o trabalho em uma vidraçaria em qualquer setor. São 40 horas/aula e é pago.O curso anterior é pré-requisito para poder fazer a Especialização em Orçamentos e Projetos em Vidros Temperados e Especiais (Nível 1): tem 60 horas/aula, pago.Também é pré-requisito para o nível II que, segundo a secretaria da entidade, é ‘único no país porque inclui Guarda-Corpos e Envidraçamento de Sacada (cortina de vidro). O curso completo é ministrado em 60 horas/aula.
Fontes:
https://www.vidros.inf.br/feiras-eventos/cursos-para-formacao-ou-aperfeicoamento-de-vidraceiros/?doing_wp_cron=1549065319.0755829811096191406250
http://www.abramat.org.br/datafiles/publicacoes/poli-abramat.pdf
http://www.cursoparavidraceiro.com.br/noticia/capacitacao-sera-obrigatoria-para-atuar-como-vidraceiro
http://www.cbic.org.br/normasdaconstrucao/
http://www.abramat.org.br/quem-somos

Você sabe como cuidar da demissão ou contratação de um funcionário?Acompanhe nossas dicas e evite contratempos no futuro

O empresário nunca precisou demitir um funcionário que levante a mão. Cuidar do desligamento de um funcionário realmente não é tarefa agradável, concorda? Ao mesmo tempo, não deve ser subestimada pelas lideranças e funcionários que ocupam cargos de gerência.

Mas, se você não gosta ou não sabe cuidar de um processo de demissão pode optar, por exemplo, em contratar um profissional de RH, especializado em demissões para realizar essa função.

Não há uma maneira branda para noticiar a perda do emprego a alguém, mas existem algumas orientações que você pode incorporar, evitando problemas futuros.

A seguir, listamos algumas dicas valiosas que irão ajudar você na hora de dispensar um funcionário da maneira correta e profissional.

Agradeça, antes de mais nada

Antes de iniciar a conversa, você deve deixar claro que a contribuição daquele funcionário foi importante para os resultados da empresa. E mesmo ao iniciar o assunto da demissão, mostre a ele o tempo todo, que seu trabalho foi de grande valia para a empresa e certamente seu profissionalismo o levará para muitas outras possibilidades no mercado.

Siga regras previstas no regulamento da empresa

Para iniciar o processo de demissão, siga todas as regras e procedimentos previamente estabelecidos pela empresa para o desligamento do funcionário. Independentemente do porte da companhia, se é grande ou MEI, você deve passar por algumas etapas burocráticas para oficializar o pedido de demissão. Caso haja alguma dúvida em como proceder, contate seu contador ou mesmo um responsável em RH para lhe ajudar.

O respeito e a empatia nas relações são fundamentais

É importante lidar com o funcionário a ser demitido da mesma forma que você gostaria de ser tratado nessa situação. Nosso dever é lembra-lo que, apesar das diferenças entre as atitudes como profissional e as demandas da empresa, você o respeita. Não é necessário trata-lo com rispidez, mas com brandura para que a pessoa absorva a notícia – afinal, nunca é boa – de sua demissão com suavidade e não como se fosse o fim da linha para ele.

Prepare o funcionário com antecedência à data da demissão

Não aconselhamos chegar de um dia para o outro com a notícia da demissão. Alguns dias ou semanas antes de demitir, utilize estratégias que ofereçam oportunidades para que ele se redima da sua falta e repare aquilo que você considerou inapropriado. Faça reuniões para expor suas insatisfações e esclarecer o que você espera do funcionário. Se ele não atender suas demandas no prazo estipulado, pode partir para a demissão, de fato

Formalize o pedido de demissão

Pelas normas trabalhistas não é obrigatório, mas, por questões éticas, é importante elaborar uma carta para demitir o funcionário. No texto, enumere as razões da demissão de forma clara e concisa. A carta de demissão ajuda o ex-funcionário a entender onde errou, para que melhore na sua próxima experiência. Além disso, é uma garantia para a empresa, caso o empregado deseje abrir um processo por demissão indevida.

Precisa contratar um novo funcionário e não sabe como?

Veja o que mudou no campo das Normas Trabalhistas e contrate corretamente

Por que investir em treinamento para os seus funcionários?Regime CLT

Ocorreram algumas mudanças no segmento CLT de contratação que devem ser lembrados. O valor da multa para a empresa que não registrar um ou mais funcionários não é mais a mesma. Para o caso de empregador que não assina a carteira do funcionário, o valor da multa mudou. Antes, a penalidade era pagar o valor correspondente a um salário mínimo (R$ 937, em 2017) por funcionário não registrado, e o mesmo valor, em caso de reincidência.

Atualmente, esse valor passa a ser de R$ 3.000 por empregado e de igual valor em caso de reincidência. No caso de microempresas e empresas de pequeno porte, a multa é de R$ 800,00.

Serviço autônomo

Você sabia que para configurar uma relação de emprego desse trabalhador é necessário que existam outros elementos, não apenas a exclusividade, como a subordinação? Ou seja, ele tem que receber ordens diretas da empresa, ter de cumprir horários fixos de trabalho e justificar faltas.

A reforma define que um trabalhador autônomo pode prestar serviços a apenas uma empresa, e ainda assim não será considerado um funcionário. O contrato de serviço, porém, não pode ter uma cláusula definindo exclusividade, ou seja, que o autônomo só pode prestar serviços para aquela determinada empresa.

Serviço terceirizado

Não foi deliberado uma norma específica para todos os aspectos que envolvem a contratação de funcionários terceirizados. Porém, alguns pontos sobre esse regime de contratação foram firmados.  Em relação a casos de funcionários que são demitidos e depois recontratados, ocorreram mudanças. Para evitar que eles sejam recontratados como terceirizados pela mesma empresa, o texto da reforma determina que é necessário esperar, no mínimo, 18 meses para poder contratar novamente o mesmo empregado.

Também estabelece que, quando o terceirizado trabalhar no mesmo local dos demais funcionários da empresa, tem direito a usar o mesmo refeitório (se houver), serviço de transporte, atendimento médico do local e a receber o mesmo treinamento adequado.

Uma nova forma de contratação

A reforma trabalhista criou uma nova forma de contratação, chamada de Trabalho Intermitente. O que diferença essa forma de contratar das demais é que os funcionários não têm garantido tempo de trabalho mínimo e ganham de acordo com o tempo do serviço. O contrato deve ser por escrito, estipulando o valor da hora de trabalho. Esse valor não pode ser menor do que o mínimo, por hora dos que exercem a mesma função na mesma empresa, no esquema tradicional de contratação.

O regime não pode ser menor que a hora do salário mínimo no país. Esse tipo de contratação permite que a empresa chame o funcionário para trabalhar conforme o surgimento de demanda. O lado bom é que o funcionário pode trabalhar para outras empresas também. O empregado deve ser chamado pelo empregador com pelo menos três dias de antecedência, dizendo quanto tempo ele deve trabalhar. O funcionário pode aceitar, ou não, mas tem 24 horas para responder. Porém, quem descumprir o acordo, seja o patrão ou o empregado, deve pagar ao outro, metade do valor previsto pelo trabalho, ou compensar o trabalho não realizado.

Depois de cada período de serviço, será pago o salário correspondente, incluindo direitos trabalhistas, como férias proporcionais, 13º e outros adicionais. Quando for demitido, o trabalhador pode sacar 80% do FGTS, mas não tem direito ao seguro-desemprego.

Fontes:
https://atitudeenegocios.com/contratacao-de-um-novo-funcionario/
https://www.siteware.com.br/gestao-de-equipe/como-demitir-um-funcionario/
https://meusucesso.com/artigos/pessoas/como-demitir-um-funcionario-de-maneira-discreta-e-profissional-220/
https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2017/11/09/reforma-trabalhista-o-que-muda-na-contratacao.htm
https://blog.rhopen.com.br/como-demitir-um-funcionario-veja-o-que-fazer-com-estas-5-dicas/

Você sabe como treinar e motivar sua equipe?Conheça o Manifesto do Gerente, com ensinamentos importantes para uma gestão eficiente de varejo

O líder deve saber trabalhar com seus colaboradores, seus pontos fortes e fracos, deixando-os com maior liberdade para a tomada de decisões. Dessa forma, eles vão sentir a importância de fazer parte da empresa, atingir o auge de suas capacidades e, ao mesmo tempo, se sentirem motivados no ambiente em que trabalham.

Como existe uma grande concorrência no mercado hoje em dia, a sua empresa deve cada vez mais se preocupar em identificar e criar métodos para reter aquele funcionário que se dedica e se compromete com a organização.

Vale destacar que os momentos de crise ou insatisfação dentro de um ambiente empresarial são tão importantes quanto os ambientes tranquilos e satisfatórios. Vamos explicar porque. É nesse momento de crise que o gestor tem a oportunidade de identificar os problemas e realizar melhorias. Ele deve buscar um entendimento assertivo entre os subordinados para alcançar a tão sonhada excelência nos serviços.

Os 16 Mandamentos para uma Gestão de Varejo bem-sucedida, poderá ajudar você, empreendedor que atua no segmento vidreiro. São estratégicas simples que, como proprietário ou gerente, poderá seguir na rotina da sua loja. Esse material propõe que as regras sejam seguidas de forma consistente. Dessa forma, você se tornará um gerente de sucesso!

Veja a seguir as palavras dos participantes de seminários de gestão, liderado por Harry J. Friedman, Fundador do The Friedman Group, que representam melhor como é ser um bom gerente de loja de varejo.

Reconhecimento de esforços da equipe

Segundo os participantes, é muito importante que o gestor se esforce para recompensar ou reconhecer o bom trabalho feito pela sua equipe, por mais rotineira que pareça ser a tarefa. Afinal, em empregos formais, as pessoas trabalham por recompensas. O dinheiro é apenas um tipo de recompensa, mas ser reconhecido é muitas vezes uma recompensa, muito maior do que o dinheiro.

Alguma vez você se aproximou de um vendedor depois que ele finalizou uma tarefa de rotina e disse: “Você realmente me ajudou fazendo isso. Muito obrigado!”. Se você não faz isso, provavelmente deve estar se perguntando: “Por que eu deveria agradecer aos vendedores por fazer uma tarefa pouco importante que nós temos que fazer todos os dias de qualquer maneira?”.

Talvez a melhor pergunta seja: “Por que não?”. Se você faz um esforço e agradece aos vendedores por fazerem algo que você sabe que é chato ou que eles não gostam, talvez eles fiquem mais inclinados a fazê-lo novamente, sem você precisar pedir.

Entenda melhor os fatos, antes de julgar ou tomar qualquer decisão

Muitas vezes os gerentes fazem julgamentos sobre um colaborador ou sobre algum problema, sem dedicar tempo para descobrir em primeiro lugar a verdadeira causa. Em vez disso, eles tentam resolvê-lo rapidamente, o que equivale a cuidar da febre e não da doença.

Quando um funcionário está se comportando mal, pode haver uma razão para isso. Mas se você não cavar fundo para encontrá-la, o motivo real nunca será descoberto. Os gerentes também precisam atuar como detetives para descobrir o que acontece com cada vendedor. O que motiva uma pessoa pode não motivar outra. Até que você saiba o que motiva individualmente a sua equipe, você nunca vai obter o máximo de produtividade no âmbito profissional.

Estabeleça metas para sua equipe e acompanhe a evolução dos trabalhos

Vendedores querem saber o que se espera deles, por isso coloque por escrito metas para cada um deles. Uma vez que os objetivos estão no papel, não há negociação – ou os membros da equipe alcançam as metas ou não. Mas a definição de objetivos não é suficiente.

Os gestores têm de assumir a responsabilidade pelo sucesso ou o fracasso de sua equipe. Se é você quem define as metas, então é melhor você estar pronto, disposto e capaz de fazer todo o necessário para ajudar todos a alcançar o sucesso.

Conheça melhor cada membro de sua equipe

Diferentes gestores têm diferentes estilos de gestão. Com os funcionários não é diferente: um estilo pode não funcionar bem com todos eles. Os colaboradores respondem de forma distinta às ordens, recompensas, disciplina etc. Você deve saber como lidar eficazmente com cada um.

Lembre-se de que o que é percebido como justo para uma pessoa pode não parecer justo para outra. Então, não seja sempre o mesmo em seu estilo de gestão, mas seja sempre justo com cada indivíduo.

Deixe de ser a pessoa-resposta e saiba delegar mais suas tarefas

Alguns gerentes têm inconscientemente estruturado seus cargos em função de responder perguntas dos colaboradores. Eles respondem a tudo, desde: “Eu trabalho amanhã?”, a “Temos isso em estoque?”, para “Posso fazer essa troca?”. Eles respondem a tantas perguntas que isso se torna, na verdade, todo o seu trabalho. Estes gerentes deveriam sempre tirar férias e ficar em algum lugar sem telefone. Como é que a loja iria continuar funcionando na sua ausência?

Para ser um grande treinador, você deve deixar de ser a “pessoa-resposta” e treinar seus colaboradores para fazer o trabalho deles. Se você não treinar o seu pessoal de forma adequada, você nunca deixará de ser a pessoa-resposta. Se não delegar depois de treinar e confiar que eles vão fazer as coisas certas, você nunca deixará de ser a pessoa-resposta. Sua loja nunca vai crescer e prosperar se ela tem um gerente que não pode crescer e planejar seu futuro.

O “mostre-me” é mais importante do que “mandar fazer”

Como gerente de loja, você treina um vendedor para que ele faça uma determinada tarefa. Então você pergunta se o vendedor entende. O próximo passo do treinamento geralmente é dispensado, e resulta no maior fracasso dos proprietários e gestores de varejo em se tratando de desenvolvimento de seu pessoal. É o passo chamado “mostre-me”.

Apenas ensinar não é suficiente, cada colaborador deve ser capaz de demonstrar que ele ou ela pode realizar bem todos os aspectos do trabalho. Usar a técnica “mostre-me”, assegura que todos os colaboradores entendam completamente a forma de fazer o seu trabalho, e então você pode responsabilizá-los por suas atribuições.

Ajude seu funcionário a melhorar os procedimentos, em vez de mudar de atitude

Não é possível entender o que faz com que alguns gerentes pensem que são capazes de mudar as atitudes de seus funcionários. Você não está equipado para corrigir a atitude de ninguém, apenas a sua própria.

Os grandes líderes não se importam com as más atitudes dos seus colaboradores, desde que eles produzam. A verdade é que problemas de atitude geralmente parecem maiores quando os vendedores não estão sendo produtivos no setor de vendas. Então, corrija os procedimentos em vez de tentar corrigir a atitude, e a atitude mudará como consequência.

Julgamentos não ajudam em nada, somente a observação e sugestões estratégicas é que valem

Quando você gerencia sua equipe com base em opiniões, há muito espaço para julgamentos equivocados de sua parte. Na verdade, você pode acabar punindo os melhores vendedores e premiando os piores.

Por exemplo: Maria pode parecer ocupada, mas isso não significa necessariamente que ela esteja ocupada. Se Maria não é boa em vendas, ela pode evitar atender clientes e se ocupar de tarefas operacionais, tornando-se muito prestativa. Você, por sua vez, acha que Maria é fantástica e sempre lhe passa tarefas extras, uma vez que ela está sempre tão disposta a fazê-las para você. Você está recompensando Maria por não vender. Se você realmente monitorasse o desempenho de vendas da Maria, ficaria evidente que ela não é rentável para a loja, a menos que ela começasse a vender mais. Agora você precisa ajudá-la a melhorar, e todo mundo ganha com isso.

 

Fonte:
https://www.friedman.com.br/blog/artigos/100/oito-mandamentos-para-gerenciar-com-sucesso-a-sua-equipe-de-loja
http://www.unisalesiano.edu.br/biblioteca/monografias/57468.pdf

Sua vidraçaria está enquadrada no regime correto?Uma vidraçaria pode ser ME, MEI ou Ltda?  E o vidraceiro independente, tem que ser MEI ou ME?

Essas e outras dúvidas sobre o posicionamento certo para seu negócio, você poderá entender lendo o nosso artigo sobre o assunto.

Para toda empresa que se pretende abrir, ou um profissional do ramo de vidraçaria que pensa em atuar de forma autônoma, é preciso ficar atento quanto às exigências legais e específicas de formalização do negócio.

Se você pretende abrir uma vidraçaria, ou seja, um estabelecimento comercial do segmento de vidros, existem duas possibilidades. No caso, poderá ter seu registro de forma individual ou em um dos enquadramentos jurídicos de sociedade.

A primeira coisa a fazer é avaliar as opções que melhor atendam às suas expectativas e o perfil do negócio pretendido. Todas essas informações podem ser acessadas diretamente no portal do empreendedor.

É preciso ficar atento sobre as questões fiscais e tributárias. Um contador profissional legalmente habilitado, pode te ajudar a elaborar os atos constitutivos da empresa e da legislação tributária. Se preferir, entre em contato com a Central e Atendimento da ANAVIDRO e agende uma reunião para sanar todas as suas dúvidas.

O que é necessário para abrir uma vidraçaria?

Para abertura e registro da empresa é necessário realizar alguns procedimentos burocráticos, mas necessários, que são:

  • Registro na Junta Comercial;
  • Registro na Secretaria da Receita Federal (CNPJ);
  • Registro na Fazenda Estadual;
  • e Registro na prefeitura municipal (para obter o alvará de funcionamento);

É preciso também cadastrar a empresa na Caixa Econômica Federal no sistema “Conectividade Social – INSS/FGTS”; Registro no Corpo de Bombeiros Militar (órgão que verifica se a empresa atende as exigências mínimas de segurança e de proteção contra incêndio, para que seja concedido o “Habite -se” pela prefeitura).

Haverá a opção de contribuir ou não com a taxa sindical. A Lei 13.467, de 13 de julho de 2017 (Reforma Trabalhista, Consolidação das Leis do Trabalho), tornou a contribuição sindical facultativa a partir de janeiro de 2018. Isso vale tanto para sindicatos patronais quanto para os trabalhadores (funcionários).

Registrar nome e marca para abrir sua vidraçaria

Outra parte importante do processo de abertura da empresa é a realização de busca de nome e marca. Isso serve para verificar se existe alguma empresa registrada com o nome pretendido e a marca que será utilizada.

Os órgãos responsáveis para o registro da empresa são: Junta Comercial ou Cartório (no caso de Sociedade Simples) e Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).

Para o arquivamento do contrato social e Declaração de Empresa Individual é preciso registrar seu contrato social. Verificar também, os antecedentes dos sócios ou empresário junto à Receita Federal, por meio de pesquisas do CPF.

Vidraçaria é uma atividade ligada ao comércio varejista

O segmento de Vidraçaria, assim entendido pela Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE/IBGE), é uma atividade de exploração de comércio varejista de vidros e outros acessórios correlatos. Poderá optar pelo SIMPLES Nacional – Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas ME (Microempresas) e EPP (Empresas de Pequeno Porte) – Lei Complementar nº 123/2006.

Esses enquadramentos servem para empresas com receita bruta anual que não ultrapasse o valor de R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) e para microempresa, R$ 3.600.000,00 (três milhões e seiscentos mil reais), no caso, empresa de pequeno porte e respeitando os demais requisitos previstos na Lei.

Quais impostos devem ser pagos ao abrir uma vidraçaria?

Nesse regime, o empreendedor poderá recolher os tributos e contribuições, por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional). Ele é gerado no Portal do SIMPLES Nacional.

Existem outras exigências que são:

  • IRPJ (imposto de renda da pessoa jurídica);
  • CSLL (contribuição social sobre o lucro);
  • PIS (programa de integração social);
  • COFINS (contribuição para o financiamento da seguridade social);
  • ICMS (imposto sobre circulação de mercadorias e serviços)
  • e INSS (contribuição para a Seguridade Social relativa a parte patronal).

Conforme a Lei Complementar nº 123/2006, as alíquotas do SIMPLES Nacional, para esse ramo de atividade variam de 4% a 11,61%, dependendo da receita bruta auferida pelo negócio.

No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção pelo SIMPLES Nacional – para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de atividade- os valores de receita bruta acumulada devem ser proporcionais ao número de meses de atividade no período.

Se o estado em que o empreendedor estiver exercendo a atividade conceder benefícios tributários para o ICMS (desde que a atividade seja tributada por esse imposto), a alíquota poderá ser reduzida conforme o caso.

Na esfera federal poderá ocorrer redução quando se tratar de PIS e/ou COFINS. Se a receita bruta anual não ultrapassar a R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), o empreendedor, desde que não possua e não seja sócio de outra empresa, poderá optar pelo regime denominado de MEI (Microempreendedor Individual).

Como enquadrar a minha vidraçaria no MEI?

Para se enquadrar no MEI o CNAE de sua atividade deve constar e ser tributado conforme a tabela da Resolução CGSN nº 94/2011 – Anexo XIII. Neste caso, os recolhimentos dos tributos e contribuições serão efetuados em valores fixos mensais conforme abaixo:

  1. Sem empregado, 5% do salário mínimo vigente – a título de contribuição previdenciária do empreendedor; R$ 1,00 mensais de ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias;
  2. Com um empregado: (o MEI poderá ter um empregado, desde que o salário seja de um salário mínimo ou piso da categoria). Retém-se do empregado 8% de INSS sobre a remuneração; Desembolsa 3% de INSS patronal sobre a remuneração do empregado.

Havendo receita excedente ao limite permitido superior a 20%, o MEI terá seu empreendimento incluído no sistema SIMPLES NACIONAL. Para este segmento, tanto ME, EPP ou MEI, a opção pelo SIMPLES Nacional sempre será muito vantajosa sob o aspecto tributário, bem como, nas facilidades de abertura do estabelecimento e para cumprimento das obrigações acessórias. Fundamentos Legais:

Alterações: Leis Complementares 123/2006 (com as alterações das Leis Complementares n.º 127/2007, 128/2008 e 139/2011) e Resolução CGSN – Comitê Gestor do Simples Nacional nº 94/2011

Vidraceiro que presta serviços autônomos pode ser MEI?

Se enquadrar no regime MEI gera diversas vantagens para profissionais independentes, como o vidraceiro de edificações, instalador e comerciante de vidros.  Poderá contar com diversas vantagens, como maior linha de crédito, benefícios previdenciários, opção de emitir notas fiscais para os serviços prestados e até e oportunidade de contratar um funcionário.

Por meio da emissão de nota fiscal, há possibilidade de o vidraceiro ampliar seu número de clientes, uma vez que as micro e pequenas empresas só contratam serviços de outras empresas. Dessa forma, ao se tornar MEI, o vidraceiro pode expandir a sua atuação e ainda pode conseguir parcerias com empresas devido a emissão de notas.

Descrição das atividades

Através do MEI o vidraceiro pode realizar todos os serviços ligados a instalação de materiais em vidros, reformas e colocação vidros, cristais e espelhos, bem como, demais atividades independentes como a comercialização e serviços de acabamento em edificações.

Fontes:
https://www.qipu.com.br/mei/profissoes/vidraceiro-de-edificacoes/
https://capitalsocial.cnt.br/7-motivos-para-se-tornar-mei/
http://www.portaldoempreendedor.gov.br/temas/quero-ser/formalize-se/atividades-permitidas
http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/

Porque é importante ter um contrato de obra para a sua vidraçaria?Como em qualquer outro negócio, ter um contrato é ferramenta importante para o bom andamento dos serviços

O contrato deve fazer parte do processo de vendas da sua vidraçaria para efetivar o acordo da obra entre as partes. Trata-se de um documento essencial que firma a parceria entre o contratante (cliente) e contratado (estabelecimento).

É importante a sua vidraçaria ter um contrato como forma de declarar os profissionais envolvidos e os serviços que serão executados. Assim, registra-se claramente o que será feito e em quais condições irá acontecer o desenvolvimento da obra.

O que mais importa em um contrato é ser objetivo. Ou seja, um contrato deve ser claro e resumido, com pontos essenciais dos serviços prestados.

Para Vidraçaria, como deve ser o contrato?

No caso da vidraçaria, o documento pode ser denominado como “Contrato de Fornecimento e Instalação”. O conteúdo deve ser sucinto e com cláusulas segmentadas que possam detalhar os itens necessários para o bom andamento do projeto.

Vale destacar sobre a importância de ter um contrato para cada negócio que fechar. Afinal, firmar um projeto em cima de um contrato mal feito prejudica ambas as partes que terão não apenas dores de cabeça, mas problemas futuros.

Com uma boa definição das responsabilidades, obrigações e direitos dos envolvidos, serão menores as probabilidades de ocorrerem conflitos. E, se acontecerem esses conflitos, as disputas sobre aditivos são muito mais fáceis de resolver e existe uma maior segurança do cumprimento do acordo.

Parece fácil, mas não é bem assim. Saiba que raramente existem contratos de empresas que detalhem exatamente os serviços que serão feitos, o prazo estipulado para a obra e as condições de pagamento.

Entretanto, existem alguns modelos específicos para reforma e instalação de materiais de vidro. Normalmente são classificados e separados por categorias de serviço, obra e reforma, além do regime de execução.

A Anavidro pode te auxiliar nesse processo de elaboração de contrato para a sua vidraçaria. Entre em contato com a Central de Atendimento, pelo site, e agende sua visita à nossa sede!

Vale ressaltar que a aplicação de boas práticas na gestão dos contratos colabora na redução de riscos para o seu negócio. Uma boa gestão de contratos hoje em dia é tão importante quanto a parte técnica e de execução.

O que deve conter no contrato de vidraçaria?

De forma resumida, os principais quesitos que devem fazer parte da cláusula de contrato são: descrição do produto, obrigações do contratado e do contratante, acompanhamento e fiscalização, condições de habilitação da contratada, recebimento e aceitação dos serviços, tipos de materiais, medidas, aplicação (local), serviços, entrega, garantia, valores, condições de pagamento e foro.  

A seguir, veja de forma detalhada, os principais itens que devem fazer parte de um contrato bem elaborado.

Cláusula do Objeto do Contrato:

Define o que será executado. No caso, o   fornecimento e instalação de materiais em vidro, deve ser detalhar cada serviço que ser prestado no empreendimento.

Partes

Contratante e Contratado: para identificar o contratante e o executor.

Documentos Necessários:

De projetos aprovados, assim como as especificações, as normas técnicas, a legislação aplicável, entre outras.

Definição das Obrigações Mútuas

São as obrigações do contratante e do contratado.

Prazo e Força Maior:

Entra o prazo de conclusão dos serviços estabelecidos no contrato e em quais condições ele pode ser ultrapassado.

Multas

São as penalidades aplicadas ao contratado, caso não ocorra o cumprimento com as obrigações estabelecidas no contrato.

Orçamentos e Condições Comerciais

É onde devem estar caracterizados todos os itens referentes a pagamentos e custeio da obra.

Fiscalização ou visita técnica

Garante ao contratante o direito de enviar às instalações um fiscal para verificar a execução dos serviços.

Garantia dos Serviços e Responsabilidades

Detalha a responsabilidade técnica, civil e trabalhista na execução do contrato.

Rescisão do Contrato

Define as condições que o contrato pode ser rescindido.

Prazos e Tolerância

Entram os limites das cláusulas ou condições do contrato.

Vigência do Contrato

Estabelece o prazo de validade do contrato.

Foro Contratual

Define o lugar em que serão dirimidas as questões contratuais.

Fontes:
http://www.psdovidro.com.br/como-escolher-uma-vidracaria/
http://www.cimentoitambe.com.br/contrato-e-ferramenta-essencial-para-realizacao-de-construcoes-civis/
https://www.anavidro.com.br/

Anavidro é apoiadora oficial do III Encontro Nacional de Temperadores de VidrosAssociação reconhece importância do encontro para a troca de experiências e atendimento das necessidades de toda a cadeia, inclusive dos vidraceiros.

Como aconteceu nos dois primeiros eventos, a Anavidro apoia a realização do III Encontro de Temperadores de Vidros, que será realizado de 1 a 4 de maio no San Raphael Country Hotel, localizado na cidade de Itú (SP). O evento é organizado pela equipe da Revista Tecnologia & Vidro e, em sua grade de palestras sempre inclui atenção especial aos vidraceiros nacionais, apontando suas necessidades.

A expectativa é que mais de 60 temperadores, acompanhados de sua família – totalizando aproximadamente 200 pessoas, se reúnam nesses quatro dias do início de maio com o objetivo de esclarecerem as dúvidas sobre o mercado e, assim, direcionarem melhor os investimentos, garantindo a sobrevivência de seus negócios.

Conteúdo direcionado

O temperador de vidros ocupa uma posição privilegiada e estratégica no setor vidreiro nacional. O consumo de temperados cresceu destacadamente nesta última década e o ramo passou a ser o elo principal entre os fabricantes de vidro float e os consumidores finais. A maioria dos produtores atua também na distribuição de chaparias, o que acentua sua importância na cadeia.

Com a realização do primeiro e do segundo encontro foi fácil perceber que alguns temas só podem ser abordados de maneira eficiente se o evento for direcionado a esse segmento da indústria. Temas específicos abordados por especialistas podem contribuir para localizar os problemas comuns e sugerir alternativas de soluções confiáveis e segmentadas.

Voz ativa

Nos dois primeiros encontros de temperadores cada opinião dos participantes pôde ser ouvida e votada em ambiente dinâmico e esclarecedor. O espaço denominado “Boca no Trombone” garante a emissão de opiniões de maneira eficiente, confiável e rápida, com posterior votação da viabilidade desta por meio eletrônico.

Dinâmicas contribuem para a interação

Para reforçar a importância do trabalho em equipe, e outras qualidades necessárias a uma boa gestão empresarial, o grupo de organização do Encontro contratou uma firma especializada em aplicar dinâmicas em eventos corporativos. Serão propostas atividades em equipe para os participantes, com adesão voluntária.

As dinâmicas destacam a necessidade que as têmperas têm, apesar de serem concorrentes e competitivas, de se unirem em determinadas situações para o objetivo comum de desenvolvimento do setor.

Sobre o local

Hotel de campo próximo a São Paulo, com ambientes clássicos e arquitetura inspirada nas fazendas cafeeiras paulistas, distribuídos em 84.000m² dedicados ao descanso dos hóspedes. Sua estrutura de lazer é completa e inclui: piscinas; quadras de tênis; passeio de pônei e cavalo; tirolesa; slackline infantil e recreação monitorada.

A apenas 90 km da cidade de São Paulo, o Hotel é ideal para os hóspedes que buscam tradição, ambiente familiar, segurança, excelência nos serviços, gastronomia inigualável, tranquilidade e conforto em meio à natureza.

O San Raphael Country Hotel oferece aos seus hóspedes uma ampla área de lazer, com projeto paisagístico especial, para proporcionar momentos de descanso, contemplação, lazer, práticas esportivas e diversão para adultos e crianças.

O parque aquático do hotel possui três piscinas, sendo duas para o público adulto e uma para o infantil. A piscina principal ao livre é fria e possui um bar subaquático. O hotel oferece também 2 piscinas climatizadas, sendo uma infantil e a outra adulto para a prática de biribol.

O espaço inclui 4 quadras de tênis de piso Lisonda sendo duas iluminadas; passeio de cavalo com opção da charrete; uma quadra poliesportiva; uma quadra de areia para futebol ou vôlei; campo de futebol society iluminado; fitness center completo; sauna seca e úmida; ducha escocesa; trilhas para caminhadas; sala de jogos com bilhar; sinuca e tênis de mesa.

Para o conforto dos pais, oferece o Baby Room, espaço reservado para o lazer de crianças de 0 a 3 anos. Ampla e clara sala; com paredes acolchoadas e piso de madeira; com brinquedos didáticos coloridos e divertidos; piscina de bolinha e monitoria de lazer. Ao lado está localizado o playground no gramado.

Eventos anteriores

Os dois primeiros eventos também foram organizados pela Revista Tecnologia & Vidro e aconteceram na cidade de Atibaia, interior de São Paulo. A proposta de Elmo Pires, idealizador do Encontro, foi lançar um evento exclusivo para os temperadores, para favorecer a troca de conhecimento e experiências entre os empresários.

Dinâmicas contribuem para a interação entre os participantes

Para reforçar a importância do trabalho em equipe, e outras qualidades necessárias a uma boa gestão empresarial, o time de organização do Encontro contratou empresas especializadas em aplicar dinâmicas em eventos corporativos.

Durante os períodos das tardes, os empresários se dividiam em equipes para participarem das atividades que promovem o crescimento pessoal e coletivo dos participantes.

Em todas as oportunidades, a turma que participou das dinâmicas estava engajada. Isso reflete no objetivo dos empresários que é achar um ponto de equilíbrio para o setor de uma forma geral.

Além de evidenciar as características necessárias a uma boa gestão empresarial, as dinâmicas favorecem a integração entre os empresários, descontraindo o ambiente.

Programação

Os organizadores estão se empenhando em promover um evento em local extremamente agradável, aconchegante e principalmente, favorável à discussão de temas que realmente interessam aos temperadores de vidros nacionais.
A partir das 9 h será oferecido o serviço de transfer para trazer os participantes dos aeroportos, Cumbica (em Guarulhos) e Viracopos, em Campinas (mais próximo). A programação, a partir daí, seguirá a seguinte cronologia.

  • 11 h Recepção dos participantes: Chegada, check-in e credenciamento;
  • 2h30 – 14h30 Almoço;
  • 17 h – 18h30min – Explicações gerais sobre o evento e Mesa redonda: com participação de convidados especializados tratando de assunto essencial para o setor vidreiro;
  • 18h30min – 19h30min – “Boca no Trombone” (gravação de vídeo): Espaço de expressão de ideias e sugestões;
  • 19h30min Jantar de boas-vindas: Com apresentação musical – Traje informal;

Dia 02/05 – Quinta-feira

  • 08h30min – Abertura – Auditório Cabral;
  • 09h – Palestra 1;
  • 09h40min – Palestra 2;
  • 10h20min – Palestra 3;
  • 11h00 – Coffee Break;
  • 11h20min – Palestra 4;
  • 12h00 – Palestra 5;
  • 12h40min – Almoço;
  • 13h40min – 14h40min Esclarecimento de dúvidas pelos palestrantes;
  • 15h30min – Dinâmica: Aperfeiçoamento pessoal – Coordenada por monitores;
  • 17h – Torneios esportivos entre equipes;
  • 18h – 19h30min – “Boca no trombone” (gravação em vídeo): Espaço de expressão de ideias e sugestões;
  • 20h – Jantar com Bingo musical – traje informal.

Dia 03/05 – Sexta-feira

  • 09 h – Palestra 6;
  • 09h40min – Palestra 7;
  • 10h20min – Palestra 8;
  • 11 h – Coffee Break;
  • 11h20min – Palestra 9;
  • 12h00min – Encerramento das palestras, considerações finais e avaliação do evento;
  • 12h30min – Almoço;
  • 13h30min – 14h30 Esclarecimento de dúvidas;
  • 15h30min – Torneios esportivos entre equipes;
  • 20 h – Jantar temático de encerramento, com grupo musical – Traje informal;

Dia 04/05 – Sábado

  • 08 h – Check-out e início do transfer para aeroportos.
TOPO