Curiosidades

Custos fixos e variáveis de uma Vidraçaria

Custos fixos e variáveis de uma VidraçariaSe você questionar um empresário e perguntá-lo se ele sabe exatamente quanto custa produzir o seu produto, poucos terão na ponta da língua a resposta.

Isso é bem preocupante, já que ter essa informação é essencial para fazer uma gestão de redução de custos e analisar a precificação.

Aliás, preço correto e diminuição dos custos são fatores muito almejados pelos empreendedores e que o primeiro passo alcançá-los é entender os custos diretos, fixos e variáveis da sua empresa.

Ter bem definido os custos também irá ajudá-lo a refletir sobre aquela dúvida famosa: “Será que estou pagando para trabalhar?”

O que é custo fixo?

O custo fixo é aquele gasto que existe todo mês, independente se a quantidade de vendas aumentou ou não. Este custo também costuma ser chamado de custo de estrutura, já que abrange os gastos relacionados à capacidade produtiva do empreendimento.

É muito importante lembrar aqui, que o custo fixo não significa que o valor é fixo, ou seja, não significa que seja sempre o mesmo valor. Ele significa que ocorre todo mês e isso independe da quantidade de produtos vendidos ou serviços prestados.

Os custos fixos de uma empresa são, por exemplo, o valor desembolsado pelo aluguel de um espaço ou de uma máquina e os salários pagos aos funcionários da operação.

O que é custo variável?

Custos fixos e variáveis de uma VidraçariaAo contrário do fixo, o custo variável é aquele que sofre alterações em curto prazo, geralmente relacionadas a alguma variável na produção e nas vendas.

Como exemplo, podemos destacar a matéria-prima, os insumos produtivos e os tributos. Ou seja, quanto mais a empresa vender, maior será o custo variável, pois há uma relação direta entre os dois fatores.

No caso da Vidraçaria, os custos dispensados com a compra da matéria-prima serão variáveis caso ocorra queda ou aumento na produção e nas vendas. Esse é também um custo que pode não ocorrer em alguns meses, se não houver vendas.

Quando falamos nesses custos, parece muito mais fácil calcular aqueles que são fixos, não é verdade? Afinal, já que não sofrem variação, basta somá-los e chegar ao total. Mas como calcular o custo variável?

Esse cálculo é diferente de acordo com as características da empresa. Se os vendedores são comissionados e se os funcionários são pagos por horas trabalhadas, esses fatores precisam entrar na conta, mas vamos exemplificar com um cálculo mais simples.

No caso da Vidraçaria, um método para calcular os custos variáveis poderia ser a soma de todos esses custos de acordo com um período determinado, como um mês, por exemplo, e a divisão do total pelo número de vidros produzidos naquele mês.

O que é custo direto?

Outra classificação dos custos envolve aqueles que são diretos e indiretos. O custo direto é aquele para o qual é mais fácil atribuir um valor, ou seja, que é mensurável sem dificuldades, sem necessidade de rateio e que é relacionado diretamente ao produto final.

Exemplos de custos diretos são a matéria-prima e a mão de obra direta. Para calcular o custo direto unitário é recomendável que a empresa tenha um sistema de requisições relacionado ao consumo de materiais e um sistema de apontamentos que permita relacionar o tempo e o trabalho realizado por cada funcionário.

Assim, somam-se os gastos com a compra de matéria-prima aos gastos com a mão de obra direta e divide-se o valor pela quantidade de produtos produzidos em um determinado período.

Abaixo estão descritos os principais custos fixos mensais típicos de uma Vidraçaria:

  • Aluguel;
  • Água, luz, telefone, internet;
  • Salários, comissões e encargos;
  • Taxas, contribuições e despesas afins;
  • Transporte;
  • Seguros;
  • Assessoria contábil;
  • Segurança;
  • Limpeza, higiene e manutenção;
  • Combustível e manutenção de veículo.

Escreva um Comentário

TOPO